Publicidade

Correio Braziliense

Brasilienses estão mais conscientes no consumo de água, diz estudo

Dados da Codeplan mostram que houve queda no consumo urbano de água no Distrito Federal entre os anos de 2013 e 2019


postado em 05/06/2020 17:04 / atualizado em 05/06/2020 17:22

Consumo urbano de água no DF caiu entre os anos de 2013 de 2019(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
Consumo urbano de água no DF caiu entre os anos de 2013 de 2019 (foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
Os brasilienses estão mais conscientes no que diz respeito ao consumo urbano de água. Estudo da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) mostrou queda no gasto hídrico entre os anos de 2013 e 2019. De acordo com o levantamento, em 2013 a população do DF consumiu 167.591.442 m³ de água. Em 2019, o consumo registrado foi de 158.200.326 m³. Uma redução de 9 milhões de metros cúbicos do recurso hídrico.

Vale destacar que a capital passou por uma crise hídrica nos anos de 2016, 2017 e 2018, com racionamento de água e medidas de conscientização para o uso racional do recurso pela população. 

O estudo apresentado pela Codeplan faz uma análise do gasto hídrico em relação a outras unidades da Federação. Segundo o levantamento, em 2013 o Distrito Federal era o quinto estado com maior consumo per capita de água no Brasil. Já em 2018, caiu para a 17ª posição no ranking, registrando 135,2 litros diários por habitante.

Em relação às regiões administrativas, a cidade que mais economiza água é o Riacho Fundo II. Em 2019, foram consumidos 71 litros diários por habitante. Em contrapartida, a região do Lago Sul é a que mais, gasta com 396 litros diários per capita. 

Acesso à água potável


Em julho de 2010, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou que o acesso à água potável e ao saneamento básico são direitos humanos essenciais. No Distrito Federal, 871.131 domicílios urbanos são atendidos pelo sistema de abastecimento hídrico da capital, o que representa 99% dos lares brasilienses, segundo o estudo “Um panorama das águas no Distrito Federal”, realizado pela Codeplan. 

Para a gerente de Estudos Ambientais da Codeplan, Kassia Castro, o acesso ao recurso hídrico é essencial. “Com todas as mudanças que estamos enfrentando é importante resgatar a importância e o papel central da água como bem comum e de direito universal. Garantir sua preservação e renovação na natureza é essencial para manutenção e qualidade de vida, desenvolvimento econômico e conservação dos mais diversos.

Das 31 regiões administrativas (à época do estudo, as RAs Arniqueira e Sol Nascente/Pôr do Sol não existiam), 17 têm cobertura total de fornecimento de água:

Águas Claras
Candangolândia
Ceilândia
Cruzeiro
Guará
Itapoã
Planaltina
Plano Piloto
Recanto das Emas
Riacho Fundo I e II
Samambaia
São Sebastião
SIA/Saan
Sudoeste/Octogonal
Taguatinga
Varjão

As regiões com menor cobertura hídrica são: Fercal, Jardim Botânico, Lago Norte, SCIA/Estrutural, Sobradinho e Sobradinho II. 

As maiores demandas por água no Distrito Federal são para uso humano e agrícola, com o consumo residencial representando 83,78% do gasto, seguido pelos usos comercial (9,50%), público (6,43%) e industrial (0,29%).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade