Publicidade

Correio Braziliense

Vigia de escola é a quarta morte de vigilantes por covid-19

Daulo Moreira Flauzino, 40 anos, ficou internado por duas semanas. Ele prestava serviço na escola 412 de Samambaia


postado em 06/06/2020 11:59 / atualizado em 06/06/2020 13:26

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
O vigia da escola 412 de Samambaia, Daulo Moreira Flauzino, de 40 anos, é a quarta vítima da categoria em decorrência da covid-19, segundo o Sindicato dos Vigilantes do DF (Sindesv/DF). O servidor morreu na manhã de sexta-feira (5/6), duas semanas após ser internado com o vírus. 

 

Segundo o sindicato, o vigilante estava afastado do trabalho há algum tempo. Além de Daulo, a esposa, os filhos e a cunhada também estão infectados com o coronavírus.

 

O deputado distrital Chico Vigilatante (PT) lamentou a morte e afirmou que tem cobrado do governo mais medidas para proteger os profissionais tercerizados. "Estou cobrando do governo que seja feita a testagem completa dos vigilantes, dos trabalhadores da limpeza e da alimentação, tercerizados. Estou preocupado com o crescimento das mortes e se medidas drásticas não forem tomadas mais gente poderá morrer".

 

Chico Vigilante ainda denuncia: "Hoje mesmo, a escola de formação de vigilantes chamada Atlas, que funciona ali no Setor Comercial Sul está aberta. Desde ontem que eu denuncio para o secretário da Casa Civil para mandar o DF Legal  para multar e interditar e até essa hora não chegou lá ainda". 

 

O funcionamento de escolas está suspendo desde o primeiro decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) em 12 de março.  

 

Segundo a entidade, até o momento, 40 servidores testaram positivo para o vírus. Um aumento de seis casos na última semana.  

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade