Cidades

Mais de 14 mil empresas foram abertas no DF durante a pandemia

Apesar da crise sanitária que tem abalado todos os setores do mercado, o Distrito Federal registrou milhares de novos empreendimentos. Setor varejista lidera o ranking

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 08/06/2020 17:07
Apesar da crise sanitária que tem abalado todos os setores do mercado, o Distrito Federal registrou milhares de novos empreendimentos. Setor varejista lidera o rankingA pandemia do novo coronavírus tem sido cruel para muitos empresários e para a classe trabalhadora. Não é difícil ouvir relatos de pessoas conhecidas que precisaram fechar as portas do negócio definitivamente. Entretanto, o Distrito Federal não fugiu à curva esperada de fechamentos; entre 17 de março, início da quarentena na capital, e o dia 5 de junho, 5.369 empresas fecharam. O mesmo período de 2019 registrou 5.315 fechamentos, uma variação pequena entre os dois anos.

Além do pequeno aumento na taxa de encerramento de atividade, durante o isolamento, a capital recebeu 14.133 novas inscrições de empresas. Os dados são parte do levantamento da Junta Comercial, Industrial e Serviços do Distrito Federal (Jucis-DF). Os setor mais alavancado foi o comércio varejista de artigos de vestuário, de bebidas e de lanchonetes.

As regiões administrativas que mais registraram novas inscrições foram: Ceilândia, 626 novas empresas; Plano Piloto, com 587; e Taguatinga, 510 novos empreendimentos. As três regiões vivem uma realidade dupla, pois apesar de serem as líderes em crescimento nos negócios, também são as mais afetadas por fechamentos.

Também entram neste cálculo a abertura de CNPJ para os Microempreendedores Individuais (MEI), que têm registro facilitado feito diretamente pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).
A partir desta segunda-feira (8), a Jucis-DF passará a publicar os levantamentos sobre aberturas e fechamentos de empresas no site da autarquia. Qualquer cidadão poderá buscar essas informações na aba ;estatísticas; da página inicial.
A apresentação destes números também atende às pesquisas do Governo do Distrito Federal para elaboração de políticas públicas. Vale lembrar que os dados pessoais dos empresários são protegidos por lei e não constarão nos levantamentos.
Apesar da crise sanitária que tem abalado todos os setores do mercado, o Distrito Federal registrou milhares de novos empreendimentos. Setor varejista lidera o ranking
[FOTO3]

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação