Cidades

Coronavírus: Ceilândia tem mais casos e mortes do que a região central

Somada a quantidade de mortes e de vítimas do Plano Piloto, Cruzeiro, Varjão, Sudoeste, Lago Sul e Lago Norte, o total é inferior do que o quadro atual de Ceilândia

Walder Galvão
postado em 16/06/2020 14:32
Ceilândia tem a maior população entre as RAs do DF e o maior número de casos do vírus, com mais de 3 mil infectadosCeilândia, a região administrativa mais populosa do Distrito Federal, ultrapassou os 3 mil casos confirmados do novo coronavírus e registrou 69 mortes provocadas pela doença. Segundo levantamento da Secretaria de Saúde, mesmo que sejam somadas as mortes e as vítimas da região central da capital, composta por Plano Piloto, Cruzeiro, Sudoeste, Lago Sul, Lago Norte e Varjão, o total ainda é inferior do que o quadro atual de Ceilândia.

O monitoramento da pasta mostra que a cidade registrou quase mil casos e 24 mortes em apenas uma semana. Em 8 de junho, Ceilândia tinha 2.090 diagnosticados e 45 vítimas da covid-19. Entretanto, balanço divulgado nessa segunda-feira (15/6) mostra que a região administrativa passou para 3.045 registros do novo coronavírus.

Por exemplo, no Plano Piloto, segunda região administrativa de maior incidência da doença, há 1.856 diagnosticados e 16 mortos. No Cruzeiro há 184 casos e nenhuma vítima; no Varjão são 23 pacientes e um morto pelo coronavírus; no Sudoeste são 255 diagnósticos e 4 mortos; o Lago Sul tem 340 diagnosticados e quatro óbitos; e no Lago Norte são 227 infectados e apenas uma pessoa perdeu a vida para a covid-19.

Levantamento da Secretaria de Saúde mostra que mais de 24 mil pessoas tiveram o resultado dos testes positivos para o novo coronavírus. Os dados, divulgados às 12h01 desta terça-feira (16/6), indicam que houve a contabilização de 13 óbitos, resultando em 301 casos na capital.

[SAIBAMAIS]Ao todo, há 24.126 contaminados, sendo que 15.186 se recuperaram da doença, o que representa 62,3%. Ou seja, são 8.606 casos ativos de covid-19 no DF (35,7%) e, destes, 53 pacientes estão em estado grave e 160 têm infecções moderadas.

UTI



Na rede privada de saúde, a situação é mais alarmante. De acordo com informações da pasta, há 218 vagas de UTI para pacientes com o novo coronavírus e 173 diagnosticados com a doença no sistema. Ou seja, há apenas 44 vagas livres para pessoas infectadas com a covid-19, uma taxa de ocupação de 79,82%.

No sistema público, que sofre exaustão da capacidade de UTI desde o início da pandemia, há atualmente 372 vagas e 244 pacientes internados. A taxa de ocupação está em 65,59% e ainda há 128 leitos para pessoas contaminadas com o coronavírus, segundo dados da Secretaria de Saúde.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação