Cidades

Policiais civis ficarão em hotéis, anuncia secretária de Turismo

Hospedagem faz parte do plano de medidas do GDF para conter a covid-19. Projeto também atende a profissionais da saúde e policiais penais

Caroline Cintra
postado em 18/06/2020 06:00
uma mulher falandoOs policiais civis do Distrito Federal também poderão contar com o serviço de hospedagem e hotelaria disponibilizado pelo Governo do DF. O anúncio foi feito, ontem, pela secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, durante entrevista ao CB.Poder, uma parceria do Correio com a TV Brasília. O programa faz parte do plano de medidas do GDF para conter o avanço do novo coronavírus na capital, e também atende aos profissionais da saúde e aos policiais penais. A data para a inclusão dos policiais civis ainda não foi divulgada.

[VIDEO1]

A secretária falou, ainda, sobre os projetos da pasta durante e pós-pandemia. A Setur-DF tem investido no projeto Tour Virtual, em que a população pode visitar os pontos turísticos da capital sem sair de casa. A plataforma é dividida em sete rotas e inclui 80 destinos. Além disso, ela falou sobre a possível retomada do setor de bares e restaurantes.

Qual o impacto da pandemia para o setor de turismo?
Desde o início, o governador tomou medidas efetivas que proporcionam, hoje, Brasília ser percebida como destino turístico seguro. Lançamos um termo de convênio com o BRB, com linhas especiais de crédito para todo o setor. Começamos a imprimir um ritmo, com uma série de ações e conquistas concretas, que, inclusive, foram anunciadas recentemente, como o auxílio aos motoristas de ônibus e vans do setor de turismo. Temos feito um trabalho de recolocar a cidade como um destino turístico, muito mais que uma sede administrativa nacional.

O setor tem buscado novas alternativas?
Lançamos pela plataforma do Google Earth, o Brasília Tour Virtual, que, desde o início da pandemia, proporciona uma visitação on-line à cidade, por meio do site http://www.turismo.df.gov.br/brasilia-tour-virtual. São 80 pontos turísticos apresentados na plataforma. Chamamos os gestores desses locais e os integramos a essa plataforma, para que a gente ofereça, a quem está em casa, a experiência de visitar a cidade.

Existe um programa da secretaria, em parceria com a rede hoteleira, que oferece hospedagem a profissionais da saúde e policiais penais durante a pandemia. Como está funcionando?
Os profissionais podem contar com um ambiente confortável e seguro, para o descanso que eles merecem. Ninguém merece mais do que eles, porque são, sim, heróis. Agora, vamos estender o projeto aos policiais civis, que, da mesma forma, necessitam de tempo para se recolherem. É um programa que oferece acolhimento e cuidado a esses profissionais.

Como tem sido feita a anutenção dos pontos turísticos da cidade?
Desde o início do governo, encontramos praticamente todos os pontos turísticos fechados. O Teatro Nacional, por exemplo, foi anunciado um planejamento que está em curso na Secretaria de Cultura. Todo o levantamento de reforma e restauração dos nossos monumentos estão em andamento, sempre em parceria com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Todos os Centros de Atendimento ao Turista (CAT) passaram a funcionar.

Quando pensamos em turismo em Brasília, focamos no Poder e nas áreas centrais. Existem outros locais a serem descobertos?
Muitos. A rota dos templos, por exemplo, que é muito rica. Temos templos e igrejas maravilhosos. Há também a rota gastronômica, que também é riquíssima de opções. Podemos afirmar que não há uma capital que ofereça uma experiência maior do que a que temos aqui, em número de obras de Niemeyer, Athos Bulcão e Lucio Costa. Também desenvolvemos um trabalho de integrar as RAs (Regiões Administrativas) ao Plano Piloto. Temos pontos turísticos fantásticos em cada uma delas.

Um setor que faz parte do turismo e que também foi afetado pela pandemia é o de bares e restaurantes. Como estão as conversas sobre o retorno das atividades desses estabelecimentos?
Brasília é o terceiro polo gastronômico do Brasil. É uma conquista do setor extremamente relevante. E isso é em decorrência do investimento dos empresários, de todo o setor, que faz com que a cidade atraia visitantes pela gastronomia. O principal objetivo é cuidar da nossa população e preservar vidas. Esse, desde o início da pandemia, tem sido o trabalho do governo, o que, graças a Deus, tem gerado segurança para a nossa cidade. Os presidentes da Abrasel e do Sindhobar apresentarão um protocolo ao governador e, como ele frisou, será feita uma avaliação para que possamos garantir um retorno seguro à população e, também, aos empresários.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação