Cidades

Ibaneis nomeia Gustavo Rocha para assumir Casa Civil

Valdetário Monteiro pediu exoneração do cargo alegando motivos pessoais

Alexandre de Paula, Thais Umbelino, Adriana Bernardes
postado em 18/06/2020 09:18

Valdetário Monteiro pediu exoneração do cargo alegando motivos pessoaisO governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) aceitou, na manhã desta quinta-feira (18/6), a exoneração do chefe da Casa Civil, Valdetário Monteiro. No lugar dele assume o advogado Gustavo Rocha. " (Valdetário) É um grande amigo e extremamente competente. Continuaremos juntos por toda a vida", declarou Ibaneis ao Correio.

Até então, Gustavo Rocha atuava como assessor de assuntos estratégicos do governo. Antes, comandou a Secretaria de Justiça e Cidadania. Na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB), Gustavo Rocha foi ministro dos Direitos Humanos.

Valdetário entregou o pedido de exoneração na noite de quarta-feira (17/6). No documento, o secretário expressa o desejo de largar a função e agradece a chance de atuar ao lado do governador durante mandato.

"Venho, com o costumeiro e sempre merecido respeito, requerer exoneração do cargo de Secretário de Estado-Chefe da Casa Civil, agradecendo desde logo a magnífica oportunidade e o enorme aprendizado ao longo dos meses", diz em trecho da carta.

"Certo dos esforços pessoais e coletivos de fazer o melhor pelo Governo do Distrito Federal com o sentimento de dever cumprido, espero deferimento", completa.

Rumores

Nos bastidores, especula-se que Valdetário abriu mão do cargo para concorrer a uma vaga do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Uma fonte do alto escalão do governo disse à reportagem, que pela sua trajetória de mais de 20 anos no mundo jurídico, ;é natural que ele esteja na lista. Ele é cotado para uma vaga há tempos;.

Em sua trajetória profissional, o chefe da Casa Civil e atual presidente da Academia Cearense de Letras Jurídicas (ACLJUR) esteve à frente da OAB-CE por dois mandatos consecutivos (2010 a 2015), além de ter fundado, presidido e coordenado diversas comissões. Entre 2017 e 2019 foi conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação