Publicidade

Correio Braziliense

MPDFT solicita que as atividades esportivas não sejam retomadas no DF

Segundo o MPDFT, a retomada ainda é precoce porque a covid-19 ainda não atingiu o pico de contágio no Brasil.


postado em 19/06/2020 14:59 / atualizado em 19/06/2020 15:15

De acordo com o MP, a retomada dos eventos futebolísticos deve ser gradual e com planejamento(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
De acordo com o MP, a retomada dos eventos futebolísticos deve ser gradual e com planejamento (foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) encaminhou um ofício à Federação de Futebol do Distrito Federal a fim de solicitar que as atividades esportivas no DF ainda não sejam retomadas. No documento, assinado na última quinta-feira (19/6), o Ministério Público argumenta que, diante do quadro de crescimento do número de infectados, o retorno dessas atividades e de qualquer campeonato se mostra prematura, inclusive de treinamentos. 
 
Para o órgão, a volta dos eventos futebolísticos deve ocorrer de forma gradual e com o devido planejamento, além de ser precedida por medidas de segurança e responsabilidade para a proteção individual e coletiva dos envolvidos. 
 
O MPDFT recebeu um documento emitido pela Federação de Futebol com protocolo de atuação para o retorno do futebol profissional. Embora baseado em guia médico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e em normas recomendadas pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Saúde do DF, o MP destaca que, segundo especialistas, a covid-19 ainda não atingiu o pico de contágio no Brasil. 
 
Esse contexto ainda indica a necessidade do adequado gerenciamento de recursos, seja de profissionais da Saúde, seja de equipamentos, como ventiladores, máscaras de proteção, leitos de UTI, insumos para realização de testes, entre outros. O Ministério Público afirma que o decreto com objetivo de evitar a disseminação do coronavírus elaborado pelo Governo do Distrito Federal proibiu eventos desportivos por serem prejudiciais ao isolamento social.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade