Cidades

Após colocar tornozeleira eletrônica, Sara Winter deve ficar em Brasília

Extremista saiu esta tarde da Penitenciária Feminina do DF (PFDF), a Colmeia, onde ficou presa por 10 dias

Darcianne Diogo
postado em 24/06/2020 20:40
 (foto: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)
(foto: Darcianne Diogo/CB/D.A Press)
Sara Winter foi encaminhada ao Centro Integrado de Monitoramento Eletrônico (Cime), onde colocou a tornozeleiraA extremista Sara Winter deve permanecer em Brasília após ser liberada da prisão com tornozeleira eletrônica, segundo informou a defesa da líder do grupo 300 do Brasil. Na tarde desta quarta-feira (24/6), Sara Fernanda Giromini saiu da Penitenciária Feminina do DF (PFDF), a Colmeia, onde ficou presa por 10 dias.

Após deixar a unidade prisional, ela foi encaminhada ao Centro Integrado de Monitoramento Eletrônico (Cime) para colocar a tornozeleira. O procedimento durou cerca de quatro horas. "Há algumas questões burocráticas que devem ser feitas antes do procedimento. No caso, a atualização de endereço de onde ela ficará", detalhou a advogada de defesa, Renata Tavares, que levantou ainda a possibilidade de a bolsonarista pode conceder coletiva à imprensa, ainda sem data marcada.

Outros quatro extremistas que estavam presos também foram soltos. Alguns deles compõem o grupo que soltou fogos na direção do Supremo Tribunal Federal (STF), há duas semanas. Como determinado pela Justiça, eles não poderão manter contato entre si e precisarão ficar, ao menos, 48 horas no DF. Sara Winter saiu do Cime em um Sandero prata, dirigido por um dos integrantes do 300 do Brasil.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação