Publicidade

Correio Braziliense

Homem coloca fogo em ônibus na Esplanada e grita: "Fora Bolsonaro!"

Agressor foi preso em flagrante e presta depoimento na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central)


postado em 25/06/2020 19:15 / atualizado em 25/06/2020 20:21

(foto: Minervino Junior/CB/D.A.Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A.Press)
Um homem colocou fogo em ônibus que trafegava pela Praça dos Três Poderes, próximo ao Palácio do Planalto, por volta das 17h30 desta quinta-feira (25/6). Ele estava com uma garrafa de combustível nos fundos do veículo e gritava "Fora Bolsonaro". Ele acabou detido quando tentava escapar da cena do crime e prestou depoimento na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). O acusado, identificado como Claudio da Silva, apresentou fala confusa e será submetido à perícia do IML para averiguar possíveis transtornos mentais. Ele tem deficiência no braço e perna esquerdos.

No momento do incêndio, 10 passageiros estavam no ônibus. Nenhum deles ficou ferido. Mesmo com o veículo em chamas, o motorista Adilson José, 54 anos, conseguiu conduzi-lo até em frente ao Palácio do Planalto e estacioná-lo ali.
 
Usando muletas e portando uma mochila, o incendiário entrou no ônibus na rodoviária do Plano Piloto. O veículo, da empresa TCB, fazia a linha Esplanada dos Ministérios. Quando se aproximava da Praça dos Três Poderes, gritos dos passageiros anunciaram o "fogo".  
 
O responsável pelo incêndio foi o primeiro a deixar o ônibus, mas não conseguiu fugir. Ele foi pego por seguranças do Palácio do Planalto, que o entregaram à polícia. O motorista do veículo disse que nunca viu nada parecido em 30 anos de profissão. "Esse mundo está louco", afirmou. Ele começou a combater as chamas, com o auxílio de um extintor, mas não teve sucesso.
 
"O fogo estava concentrado na parte de trás do ônibus. Meu extintor esvaziou e as chamas ainda continuavam. Colegas de outros ônibus tentaram ajudar, brigadistas do Congresso também. Mas as chamas apenas foram apagadas quando a viatura do Corpo de Bombeiros chegou", disse o motorista. Outros motoristas que passavam por ali naquele momento também tentaram ajudar. O fogo só foi controlado quase 10 minutos depois, quando os bombeiros chegaram.
 
A cobradora Deusilde Santana, 53 anos, contou que, quando as portas se abriram, o incendiário deixou a muleta para trás e foi o primeiro a sair do ônibus. "Ele correu. Gritava 'fora, Bolsonaro!', mas logo foi contido pela polícia. Felizmente, ninguém se machucou. Só não sei a que horas vou chegar em casa hoje", disse a cobradora, que mora em Planaltina.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade