Cidades

Feminicídio: morador de Ceilândia espanca e apedreja a namorada até a morte

Lucas Santos atacou a jovem em uma rua de Águas Lindas de Goiás. Após o assassinato, ele tentou carregar o corpo da vítima, mas foi impedido pela Polícia Militar

Sarah Peres
postado em 26/06/2020 15:43
O crime ocorreu na madrugada, no bairro Jardim Barragem 2, em Águas Lindas de GoiásMais uma mulher foi assassinada pela condição de gênero. Desta vez, a vítima, Janária Beatriz Pereira da Conceição, de 29 anos, morreu após ser espancada e apedrejada pelo próprio namorado, na madrugada desta sexta-feira (26/6). O feminicídio ocorreu em via pública do bairro Jardim Barragem 2, em Águas Lindas de Goiás, cidade distante cerca de 50km do centro de Brasília.

O crime foi descoberto pela Polícia Militar, que foi acionada por uma testemunha, por volta das 4h. A solicitante informou à guarnição que um homem agredia a companheira na pista do bairro. A equipe se deslocou até o local do feminicídio e, ali, viram o acusado arrastando o corpo de Janária Beatriz pela rua. O homicídio foi filmado por câmeras de segurança.

Na abordagem, o suspeito, Lucas Santos de Sousa, de 27 anos, confessou ter atacado a namorada e usado pedras durante o espancamento. Os militares acionaram uma equipe do Corpo de Bombeiros, no entanto, os socorristas não puderam realizar nenhum procedimento, pois a vítima já estava morta.

Lucas, que é morador de Ceilândia Norte, alegou, em depoimento inicial, que estava sob efeito de drogas no momento do feminicídio. O caso é investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Águas Lindas, que busca identificar a mulher e, assim, coletar mais informações sobre o relacionamento do casal.

Foi solicitada perícia no local do crime, assim como para a produção do laudo cadavérico ; que determinará a causa da morte. No entanto, avaliação prévia determinou que Janária Beatriz sofreu inúmeras fraturas: fechada, aberta e perfurante. Ela também teve contusões, cicatrizes e queimaduras.

Nome falso

Na delegacia, a equipe de militares identificou que Lucas Santos era foragido da Justiça do Distrito Federal por homicídio, cometido em 2012. Ele passou anos cumprino pena, mas fugiu do cárcere por não ter retornado de um saidão. Por causa disso, o jovem passou a utilizar um nome falso quando era abordado ou preso.

Em duas ocasiões, em abril e maio deste ano, Lucas foi detido, mas forneceu o nome de outra pessoa. Os investigadores vão apurar a relação entre o acusado e o homem, que é morador de Samambaia Sul.

Busque ajuda

; Polícia Militar ; 190
; Ministério dos Direitos Humanos ; Disque 100
; Polícia Civil ; 197 ou opção 3 ou 61 98626-1197 (WhatsApp)
; Delegacia Online ; https://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197/violencia-contra-mulher
; Delegacias regionais
Atendimento 24 horas por dia
; Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam I e II)
Asa Sul: Entrequadra 204/205 Sul
Telefone: 3207-6172
Ceilândia: Prédio da 15; Delegacia de Polícia ; QNM 2, Área Especial, Conjunto G/H - Centro
Atendimento ininterrupto
; Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
De segunda a sexta-feira, das 10h às 16h30
Asa Sul: Estação do Metrô 102 Sul
Telefone: 3323-7264
Ceilândia: QNM 2, Conjunto F, Lote 1/3 ; Ceilândia Centro
Telefone: 3373-6668
Planaltina: Jardim Roriz, Área Especial, Entrequadras 1 e 2 ; Centro
Telefone: 3389-8189 / 99202-6376
; Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar
Telefones: 3910-1349 / 3910-1350
; Núcleo de Assistência Jurídica de Defesa da Mulher (Nudem)
Telefone e WhatsApp: 99359-0032
E-mail: najmulher@defensoria.df.gov.br

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação