Cidades

Covid-19: testes para detectar a doença são importantes; entenda

No DF, foram feitos mais de 291 mil testes de covid-19, incluindo os exames IgG-IgM, que demora poucos minutos; e o RT-PCR, que o resultado sai em 72 horas, em média. Especialistas defendem o monitoramento das pessoas contaminadas

Ana Maria da Silva*
postado em 27/06/2020 07:00
Isadora Paneago, 22 anos: ''Após o teste, pude redobrar o cuidado''Testar massivamente a população. Essa tem sido a principal iniciativa adotada pelas organizações de saúde enquanto a pandemia da covid-19 cresce no país. A medida tem como objetivo ajudar na detecção da doença e na avaliação do número de infectados. No Distrito Federal, não é diferente: até o momento, foram realizados mais de 291 mil exames.

O diagnóstico preciso e correto é fundamental para a prevenção e prognóstico da doença. É o que explica a infectologista do Hospital Brasília Ana Helena Germoglio. ;A grande importância de fazermos o diagnóstico do paciente no momento correto é a sua segregação;, ressalta, sobre a importância do isolamento. A partir dos resultados obtidos, dados essenciais para o entendimento e rastreamento da população podem ser fornecidos.

Há dois tipos de testes no DF, ambos disponíveis nas redes pública e privada de saúde. Primeiramente, há o teste rápido (IgG-IgM), usado na testagem em massa da população. Esse tipo de testagem é realizado com uma amostra de sangue em aparelho digital ou secreção nasal e de garganta. Segundo a Secretaria de Saúde, a limitação é necessidade de anticorpo, detectando positivo só a partir do oitavo dia do aparecimento dos sintomas. ;De maneira geral, esse tipo de teste tem sensibilidade acima de 80% e especificidade acima de 90%;, afirma o órgão. Neste caso, o resultado sai, em média, em 30 minutos.

Há, também, o RT-PCR, que detecta a doença em fase inicial, a partir do 3; ao 7; dia de sintoma, detectando precisamente a presença do vírus. Nesse tipo de exame, coleta-se o material da garganta e do nariz do paciente, por meio de um swab (cotonete), analisado em laboratório. Neste caso, a Secretaria de Saúde diz que a dificuldade está na necessidade de pessoas habilitadas para fazer a coleta e o tempo para a realização do exame, que é mais demorado. Atualmente o resultado está sendo divulgado em até 72 horas pelo Laboratório Central.

De acordo com a infectologista, o melhor teste a ser feito depende, principalmente, da data de início do surgimento de sintomas. ;Se não forem feitos corretamente, ambos testes podem dar falso negativo, que são problemáticos, uma vez que vão transmitir uma falsa sensação de segurança;, reforça Ana. ;Por isso, ambos testes precisam de uma indicação fidedigna e devem ser feitos no momento adequado, com a metodologia adequada, para evitar que exames sejam feitos desnecessariamente;, acrescenta a especialista.

Após três dias do surgimento dos sintomas, a auxiliar administrativa Isadora Paneago Aguiar, 22 anos, fez o teste: o resultado foi positivo. Ela conta que os sintomas começaram após membros de sua família testarem positivo para a doença. De acordo com Isadora, o teste ajudou a evitar a transmissão do vírus para outras pessoas próximas, principalmente. ;Após o teste, pude redobrar o cuidado para ter a certeza de que não transmitiria a doença;, ressalta. Depois do resultado, Isadora ficou em casa e seguiu as recomendações médicas. ;Aumentamos os cuidados com a limpeza e com as saídas, que aconteciam em situações estritamente necessárias;, afirma.

Monitoramento

Em caso de testagem positiva, o acompanhamento é de extrema importância. A infectologista Ana Helena Germoglio diz que, por meio do monitoramento é feita a devida orientação quanto aos cuidados domiciliares e para os casos que apresentem sinais ou sintomas de piora clínica. ;Por isso é tão importante esse controle. Ele serve para que identifiquemos, de forma precoce, os pacientes que têm alguma piora clínica e não notam. Há essa sensibilidade para evitar que o paciente chegue em estado grave ao hospital;, reforça Ana.

A atenção e o monitoramento da arquiteta Letícia Ximenes de Freitas, 25, ajudou o irmão. Após testagem positiva, ela conta que o hospital entrou em contato e auxiliou a família a lidar com a situação.;O hospital retornou depois de uns dias perguntando como ele estava e indicando os cuidados para nos mantermos 14 dias em casa;, conta. ;Além disso, ficávamos acompanhando se havia ou não evolução do quadro ou aparecimento de outro sintoma. Ele teve dor de garganta no início, logo passou, e então perdeu olfato e paladar.;

Em nota, a Secretaria de Saúde reforçou que todo exame positivo é inserido no banco de dados para investigação epidemiológica do caso e levantamento das informações do paciente. ;As equipes de vigilância epidemiológica que atuam nas unidades públicas de todo o DF fazem o monitoramento desses pacientes por meio de ligações telefônicas para acompanhar a evolução do caso;, diz. O órgão reforçou que, caso o paciente em isolamento apresente piora dos sintomas, deve procurar imediatamente uma unidade de saúde.

*Estagiária sob supervisão de José Carlos Vieira

Testei positivo, o que fazer?

A Secretaria da Saúde reforça que, caso apresente os sintomas, o paciente pode procurar um dos pontos de testagem por drive-thru ou a unidade básica de saúde mais próxima da sua residência para o atendimento e testagem. Se o exame der positivo para o novo coronavírus, é indicado o imediato isolamento domiciliar, caso ele esteja apenas com sintomas leves. Se os sintomas forem mais graves, o paciente será direcionado para o atendimento médico especializado.

Em caso de diagnóstico positivo para covid-19, siga algumas recomendações:
  • Fique em isolamento domiciliar
  • Utilize máscara sempre
  • Se for preciso cozinhar, utilize máscara de proteção,cobrindo a boca e o nariz o tempo todo
  • Depois de usar o banheiro, nunca deixe de lavar as mãos com água e sabão e sempre limpe as superfícies com álcool e água sanitária
  • Separe toalhas de banho, garfos, facas, colheres e outros objetos para seu uso;
  • O lixo produzido precisa ser separado e descartado
  • Mantenha as janelas abertas para circulação de ar do ambiente usado para isolamento e a porta fechada. Limpe a maçaneta frequentemente com álcool 70%

Caso o paciente não more sozinho, os demais moradores devem dormir em outro cômodo, longe da pessoa infectada, seguindo, também, as seguintes recomendações:
  • Manter distância mínima de um metro entre o paciente e demais moradores
  • Limpar os móveis da casa frequentemente com água sanitária
  • Se uma pessoa da casa tiver diagnóstico positivo, todos os moradores também ficam em isolamento por 14 dias
  • Caso outro familiar da casa também inicie os sintomas leves, ele deve reiniciar o isolamento de 14 dias. Em caso de sintomas graves, como dificuldade para respirar, ele deve procurar orientação médica

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação