Publicidade

Correio Braziliense

Parque Saburo Onoyama será abastecido por nascente recuperada

O recurso estava perdido em meio a área pantanosa e foi descoberto após moradores solicitarem reparo de vazamento


postado em 01/07/2020 15:38 / atualizado em 01/07/2020 15:40

Há aproximadamente 30 dias deu-se início o trabalho de recuperação da nascente, perdida em meio a uma área pantanosa em Taguatinga(foto: Divulgação/Agência Brasília)
Há aproximadamente 30 dias deu-se início o trabalho de recuperação da nascente, perdida em meio a uma área pantanosa em Taguatinga (foto: Divulgação/Agência Brasília)
Cristalina e potável, a nascente presente em uma área pública de preservação ambiental próximo à quadra QSC 4, em Taguatinga Sul, irá abastecer uma piscina do Parque Saburo Onoyama. O recurso natural desaguava no córrego do parque e corria por um percurso de 100 milímetros de diâmetro.

 

Devido às raízes de plantas que infiltraram o canal e se acumularam no terreno do GDF, o fluxo foi interrompido. A água escoou pelo asfalto, danificou o piso e formou um buraco. Alguns moradores perceberam o vazamento e solicitaram o reparo.

 

Há aproximadamente 30 dias deu-se início o trabalho de recuperação da nascente, perdida em meio a uma área pantanosa. A iniciativa foi da administração regional de Taguatinga, em parceria com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) e o Brasília Ambiental (Ibram) – instituto responsável pelo parque Saburo Onoyama. O terreno foi roçado com o apoio da administração regional do Sol Nascente.

 

Após as ações, o ponto de vazão causado pelo entupimento foi identificado e desobstruído. Segundo o coordenador regional de Taguatinga, Geraldo César, a região aguarda a cessão de uma nova tubulação de 300 milímetros de diâmetro pela Companhia de Saneamento Básico do Distrito Federal (Caesb). O objeto irá substituir a atual. “Estamos saindo do paliativo para o definitivo”, resume Geraldo.

 

Quatro caixas de manutenção serão instaladas, facilitando inspeções pontuais sem precisar que a canalização passe por interferência no caso de incidente. O técnico de Planejamento e Infraestrutura Urbana do Ibram, Saulo Guilherme de Freitas, afirma que o trabalho, apesar de não concluído, já teve impacto positivo. “Fico feliz porque demos solução para o problema ambiental e que preocupava a comunidade, também pela limpeza do mato que crescia no terreno”, acredita.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade