Cidades

Covid-19: profissionais da saúde orientam empresas que retomam atividades

Documento elaborado pela Unidade Básica de Saúde (UBS) 12 de Planaltina traz recomendações para quem está voltando a trabalhar em meio à pandemia do novo coronavírus

Correio Braziliense
postado em 03/07/2020 16:07
 (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
De acordo com a Secretaria de Saúde, os médicos que atuam nas unidades presenciam muitos pacientes sintomáticos ainda trabalhandoProfissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) 12 de Planaltina elaboraram dicas para empresas e trabalhadores que estão retomando as atividades em meio à pandemia do novo coronavírus. De acordo com a pasta, com a queda do isolamento social e a reabertura do comércio, as orientações são necessárias para evitar maior disseminação da doença.
O documento foi desenvolvido pelos servidores em parceria com um residente da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs). A ideia surgiu a partir da necessidade sentida pelos profissionais da saúde de manterem isoladas as pessoas com sintomas gripais durante a pandemia.
De acordo com a Secretaria de Saúde, os médicos que atuam nas unidades presenciam muitos pacientes sintomáticos ainda trabalhando, ;seja por medo de perder o emprego, ou por serem obrigados;.
As orientações reúnem informações de fontes nacionais e internacionais, com as condutas adotadas pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e em outros países afetados, como Itália, Espanha, Inglaterra e Austrália.
Entre as recomendações, está a necessidade do paciente diagnosticado com a doença de permanecer 14 dias em casa e só voltar ao trabalho no 15; dia, após permanecer, pelo menos três dias, sem febre e uso de medicamento. Entretanto, caso a pessoa volte a apresentar algum sinal da covid-19 após o período, deverá ser reiniciada a contagem.
[SAIBAMAIS]Além disso, uma das orientações que o documento traz é de que qualquer pessoa com sintomas da doença deve procurar a UBS mais próxima de casa para realizar o teste.
Confira as recomendações do ;Documento Orientador para Empresas ; Retorno ao Trabalho;

Como realizar o retorno ao trabalho com segurança em meio à pandemia?


Existem diversas situações possíveis:
1) Trabalhador com sintomas e com diagnóstico confirmado: esta pessoa receberá um atestado médico para permanecer em casa até completar 14 dias de sintomas. Ao chegar no 14; dia, caso o trabalhador esteja sem febre há pelo menos 3 dias (sem uso de medicamentos), poderá retornar ao trabalho no 15; dia. Este é chamado de critério clínico de cura para COVID-19, não sendo útil a realização de qualquer teste para a doença.
2) Trabalhador com sintomas e com swab negativo: esta pessoa receberá um atestado médico para permanecer em casa até completar 14 dias de sintomas. Mesmo com o swab negativo, não deverá retornar ao trabalho antes de completar 14 dias, pois existe 40% de chance de o teste ser um falsonegativo, ou seja, de o trabalhador estar com a doença e o teste não ter revelado isto. Caso a pessoa esteja sem febre há pelo menos 3 dias (sem uso de medicamentos), poderá retornar ao trabalho no 15; dia sem realizar nenhum novo teste para COVID-19.
3) Trabalhador sem sintomas, mas que teve contato próximo com caso suspeito ou confirmado: esta pessoa receberá um atestado médico para permanecer em casa até completar 14 dias que começam a contar no dia de contato com o caso suspeito ou confirmado. Se ao final de 14 dias a pessoa permanecer assintomática, poderá retornar ao trabalho no 15; dia sem realizar nenhum teste para COVID-19. Caso desenvolva sintomas antes do 14; dia, será reiniciada a contagem de 14 dias a partir do primeiro dia de sintoma do paciente e seguirá a mesma lógica apresentada no primeiro caso deste documento.
Informações sobre o Teste Rápido para COVID-19:
- As unidades básicas de saúde do DF contam com testes rápidosque são realizados diariamente na população, porém o teste rápido negativo não garante que o trabalhador não esteja mais transmitindo a doença. Caso a empresa obrigue o funcionário a realizar teste rápido para então retornar ao trabalho, deverá arcar com os custos por meios próprios, e mesmo assim estará desperdiçando dinheiro da companhia. Como citado anteriormente, seja público ou privado, o teste rápido não auxilia no retorno seguro ao trabalho.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação