Cidades

Preso o último suspeito de tentar matar casal por disputa de terras

O crime é investigado pela PCDF e ocorreu na madrugada de 14 de maio. Investigações apontam que os suspeitos estavam em uma festa familiar com as vítimas antes da tentativa de homicídio

Darcianne Diogo
postado em 03/07/2020 16:43
Antonio Alves foi preso nesta sexta-feira (3/7)A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nesta sexta-feira (3/7), o último homem suspeito de tentar matar, na companhia de outras três pessoas, um casal. O crime teria sido motivado por disputa de terras. Antonio Alves de Medeiros, 45 anos, estava foragido desde 14 de maio.

Segundo as investigações, no dia do crime, os suspeitos estavam em uma festa familiar com as vítimas. Após se despedirem do casal, alegando que iriam dormir, os acusados voltaram ao local minutos depois e golpearam as vítimas com facão. Nesta quinta-feira (2/7), a polícia havia prendido o terceiro envolvido.

Agentes da 14; Delegacia de Polícia (Gama) cumpriram o mandado de prisão preventiva em desfavor de Antonio Alves. Agora, os quatro acusados estão à disposição do Poder Judiciário.

Operação

[SAIBAMAIS]Denominada ;Animus Domini;, a operação foi deflagrada em 10 de junho. Na primeira fase, agentes da 14; Delegacia de Polícia (Gama) cumpriram dois mandados de prisão temporária e dois mandados de busca e apreensão contra dois irmãos envolvidos no crime. De acordo com a apuração policial, a tentativa de assassinato teria sido motivada pela disputa de terras situadas na área rural do Gama, próximas à Quadra 9 do Setor Sul.

Na ocasião, a dupla tentou matar os tios com golpes de facão. A primeira vítima foi atingida pelos golpes e a segunda ficou ferida no momento em que tentava socorrer a outra pessoa. Segundo a PCDF, durante as agressões, os suspeitos diziam que as vítimas deveriam deixar o local. Caso contrário, elas seriam mortas.

O casal foi encaminhado ao hospital, onde se recuperou dos ferimentos. Com base nas investigações, após saberem da recuperação das vítimas, os suspeitos atearam fogo na residência e tomaram posse do terreno. A polícia representou pela prisão preventiva dos quatros suspeitos, sendo que três deles foram presos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação