Cidades

Deputado que atirou em advogado já deu soco em estudante; veja vídeo

O deputado estadual do PSL Alexandre Knoploch, que atirou em um advogado em Brasília, se envolveu em confusão na Uerj em 2019

Luiz Calcagno, Darcianne Diogo , Maíra Alves
postado em 03/07/2020 19:12
O deputado estadual do PSL Alexandre Knoploch, que atirou em um advogado em Brasília, se envolveu em confusão na Uerj em 2019O empresário e deputado estadual pelo Rio de Janeiro Alexandre Knoploch (PSL), sque atirou no pé de um advogado em frente a um bar na 408 Sul, na madrugada desta sexta-feira (3/7), responde a um processo por ter agredido um estudante na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), em 12 de junho de 2019. Na ocasião, ele deu um soco no rosto de um universitário, após um bate-boca durante uma audiência pública que discutia cotas raciais.

Knoploch estava com o também deputado estadual Rodrigo Amorim, seu colega de partido. A audiência tinha como tema um projeto de lei de Amorim para acabar com as cotas raciais nas universidades públicas do Rio. O encontro ocorria na capela da universidade, e a presença dos parlamentares gerou protestos por parte de estudantes.

Em dado momento, Knoploch e Amorim bateram boca com alunos defensores das cotas. O clima ficou insustentável e os parlamentares tiveram que deixar o local. Quando saíam, faziam sinal de coração com a mão, mas, em dado instante, Knoploch voltou-se para trás e socou o rosto do estudante, correndo em seguida. Houve empurra-empurra e um dos seguranças do deputado ameaçou sacar a arma. Na época, políticos que se opõem ao presidente Jair Bolsonaro, que era do PSL no início do mandato, criticaram o episódio e repercutiram o vídeo (clique aqui para assistir).

Tiro na 408 Sul

Na madrugada desta sexta-feira, Knoploch se envolveu em outra confusão em frente a um estabelecimento cormercial na 408 Sul. O Correio apurou que, após levar um soco, o parlamentar teria sacado a arma e disparado contra a vítima. Em nota, a assessoria de imprensa do deputado disse que ele se defendeu após ser "vítima de uma agressão covarde".

De acordo com o texto, ele teria sido atacado pelas costas e, "para paralisar seu agressor, desferiu um tiro em seu pé". "O deputado pediu, por conta própria, ainda, que além do exame de corpo de delito, fossem também feitos os exames toxicológicos e de alcoolemia, comprovando que ele não havia ingerido bebida alcoólica. E esclareceu que possui porte de arma;, encerra o texto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação