Publicidade

Correio Braziliense

Número de novos casos no DF tem queda proporcional nas duas últimas semanas

As informações são do mais recente boletim da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e se somam ao conjunto de dados avaliados pelo Governo do Distrito Federal para definir as estratégias distritais


postado em 05/07/2020 18:50 / atualizado em 05/07/2020 19:43

(foto: MARK FELIX)
(foto: MARK FELIX)
Pela primeira vez desde o final de março, quando do início das medidas de distanciamento social, o DF registra duas semanas seguidas de queda na taxa de crescimento diário de novos casos da covid-19. A diminuição também ocorreu entre os meses de maio e junho. As informações são do mais recente boletim da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e se somam ao conjunto de dados avaliados pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para definir as estratégias distritais.  

Com relação à quantidade de óbitos, os registros ainda não caíram. Entre 14 e 20 de junho, o número de mortes acumulado era de 112, na semana seguinte, 132, e, entre 28 de junho e 4 de julho, 134. "Proporcionalmente, não dá para falar em queda, mas em estabilidade. Notamos que o crescimento se estabilizou nas duas últimas semanas. Se vai confirmar ou não, temos que avaliar as próximas", explica Jean Lima, presidente da Codeplan.  

De acordo com os dados contabilizados até este sábado (4/7), as semanas de 21 e 27 de junho e de 28 de junho e 4 de julho tiveram taxas de crescimento diário de novos diagnósticos do vírus inferiores ao período entre 14 e 20 de junho, 3,7%; 3,1% e 5,0% respectivamente. 
 
 

Na comparação mês a mês, o percentual de novas pessoas contaminadas também diminuiu. Em maio, a taxa era de 6,1%, e em junho foi de 5,3%. 



Jean Lima explica que, considerados os dados por dia, em termos absolutos, nota-se um aumento gradual de infectados. Contudo, a análise compara proporcionalmente as informações das duas últimas semanas para verificar a taxa e tentar, com isso, analisar tendências. "Em termos percentuais, o estudo aponta que há uma queda na proporção de novos casos. Fazemos a análise da taxa de incidência sempre comparando os últimos 14 dias, que é o ciclo do vírus, e a partir disso, vamos acompanhando", comenta.   

Essa redução percentual é um bom indício sobre a disseminação da covid-19 no DF. Contudo, Lima pondera que a informação pode variar muito de uma semana para outra. "Precisamos analisar as próximas semanas para ver se isso se consolida. Em se consolidando, chegaríamos no platô". 



No DF, a taxa de mortalidade por 100 mil habitantes está em 22,25, e a letalidade da doença é de 1,20%. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade