Cidades

Reabertura das academias divide opiniões

Nem todos os estabelecimentos pretendem voltar a funcionar a partir desta terça-feira. Alunos seguem inseguros

Ádamo Araújo
postado em 05/07/2020 21:11
 (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
Suspensão das aulas coletivas e separação maior entre os equipamentos são as principais medidas a serem adotadasA partir desta terça-feira (7), com uma série de restrições, as academias de ginástica e demais empresas relacionadas ao segmento estão autorizadas a retomarem às atividades no Distrito Federal. A liberação faz parte da reabertura escalonada do comércio publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de quinta-feira (2/7). No entanto, preocupados com o aumento de registros de covid-19, mesmo com a flexibilização, há comerciantes que pretendem seguir com as portas fechadas por enquanto.

É o caso, por exemplo, da academia Malhart, da Quadra CLS 203. Pelas redes sociais, a instituição comunicou aos clientes que o funcionamento segue interrompido. De acordo com o texto, ;por existir uma certa instabilidade quanto às cláusulas e efetividade do documento, optamos por aguardar mais alguns dias e informar nossa reabertura somente em um cenário consolidado;, destaca ao se referir ao Decreto N; 40.939 do Governo do Distrito Federal (GDF), responsável pela liberação. A empresa enfatiza ainda que aproveita o fechamento para investir em melhorias em segurança e modernização.

Porém, outras se mostram prontas para a volta às atividades. A Up Fit, na Fercal, elaborou uma série de regras para isso. ;Nossos horários vão ficar reduzidos. Compramos termômetro a laser para aferir a temperatura dos alunos e tapete bactericida para a limpeza dos calçados;, explica Bianca Monteiro, 26 anos, responsável pelo estabelecimento. Sobre o álcool em gel 70%, ela enfatiza que a utilização para higienização e limpeza dos equipamentos e ambientes antecede a pandemia. ;Outra novidade é que mudamos alguns equipamentos de lugar para obedecer o espaçamento, isolamos as bikes de spinning e sinalizamos toda a academia. Funcionaremos somente a parte de musculação. Aulas coletivas estão suspensas;, complementa.

Com 32 unidades pelo DF, a Smart Fit, uma das mais populares franquias do país no seguimento, também reabre nesta terça-feira. Foi enviado via e-mail para os clientes um comunicado com as medidas a serem adotadas para os treinos, como quantidade reduzida de equipamentos em funcionamento para aumentar o espaço entre os alunos, ênfase na obrigatoriedade do uso das máscaras por parte da equipe e dos atletas e o fechamento das academias, pelo menos, duas vezes ao dia para higienização completa.

Mesmo com todas essas garantias, tem aluno que não pensa em voltar tão cedo. A estudante Mileide Martins, 30, não tem pressa alguma. ;Vou esperar mais um tempo. Não me sinto segura ainda de dividir equipamentos e cruzar com pessoas. O ambiente fechado me preocupa muito;, aponta. Acostuma a malhar de três a seis vezes na semana em sua academia antes da pandemia, ela optou por outras estratégias. ;Prefiro, por enquanto, fazer atividades ao ar livre, corridas nos parques ou, até mesmo, treinar em casa;, complementa.

Mas tem gente que está completamente segura com reabertura, inclusive, destaca que seguiu frequentando academias que estavam funcionando clandestinamente nos últimos meses. ;Não existe tanta aglomeração nos equipamentos e sempre estão bem higienizados. A partir de agora, com a conscientização do distanciamento, fica mais seguro;, relata, ao Correio, uma fonte que preferiu não se identificar.

Em relação a empresas que estavam atendendo irregularmente, o entrevistado elencou algumas regiões onde conseguiu malhar durante esse período. ;Existem várias. Por exemplo, na Estrutural, em Taguatinga Sul e no Entorno, como é o caso de Valparaíso;, revela. Segundo a pessoa, os próprios donos repassavam aos clientes, mas pediam sigilo. Apesar de ser algo contra a lei, ele lembra que o funcionamento obedecia regras de distanciamento, higienização, utilização de máscaras e redução na quantidade de usuários por horário, entre outros.

Centros estéticos também estão autorizados

Assim como as academias; salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos podem reabrir a partir desta terça-feira. As regras para esse comércio são semelhantes às normas estabelecidas para as empresas de ginástica, e enfatizam distanciamento e higienização constante.

;Estamos observando o distanciamento das cadeiras de atendimento, higienização de todos os equipamentos utilizados a cada atendimento, capas descartáveis, conferência da temperatura de todos os clientes e colaboradores, uso de máscaras sempre, uso de luvas para fazer barba, entre outros;, explica Vanessa da Silva Magalhães, 24, dona da barbearia Barba Ruiva, em Taguatinga Sul. ;Nossa maior preocupação é atender a todos com o máximo de segurança para evitar a disseminação do vírus;, emenda.

[SAIBAMAIS]Ela destaca que, durante os três meses de fechamento, os profissionais fizeram atendimento na casa dos clientes. No entanto, ela contabiliza um impacto de cerca de R$ 80.000 no faturamento bruto da empresa.

Seguindo a retomada escalonada, bares e restaurantes estão liberados a partir de 15 de julho. Colégios, universidades, faculdades da rede de ensino privada podem voltar a funcionar a partir do dia 27. Cinemas, teatros e eventos ainda não têm data definida.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação