Cidades

Corpo de bebê é encontrado em esgoto no Paranoá; polícia investiga

O corpo foi encontrado por servidores da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). Não se sabe, no entanto, a idade do bebê

Darcianne Diogo
postado em 06/07/2020 19:21
 (foto: PCDF/Divulgação)
(foto: PCDF/Divulgação)
Agentes da 6ª DP foram acionadosServidores da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) encontraram, nesta segunda-feira (6/7), o corpo de um bebê boiando na estação de bombeamento, no Paranoá, próximo à horta comunitária do Itapoã.

Agentes da 6; Delegacia de Polícia (Paranoá) foram acionados para investigar o caso. O Corpo de Bombeiros também foi acionado. Não se sabe, no entanto, qual o idade do bebê nem a causa da morte.

Agora, a polícia tenta localizar os pais da criança. Consta na ocorrência que os policiais se deslocaram ao Hospital Regional do Paranoá (HRP) para obter informações sobre o nascimento do bebê. O chefe de ginecologia da unidade de saúde foi consultado pela equipe policial, onde constatou, após analisar vídeos e fotos, que a vítima se tratava de um recém-nascido e não de um feto.
Segundo a delegada-chefe da 6; DP, Jane Klébia, ainda não se tem informações sobre as causas da morte. ;Agora, a Caesb vai nos informar sobre quais são os lotes que despejam esgoto no local. A partir daí, vamos conseguir nortear a investigação. Enquanto isso não ocorre, vamos apurar o paradeiro da mãe. Precisamos saber se a criança morreu de alguma doença ou se foi proposital. Vamos descobrir;, detalhou.
De acordo com a investigadora, um servidor da Caesb procurou a delegacia após se dar conta de que o corpo era de um ser humano. ;A princípio, ele achou que era um boneco. Mas achou estranho e se deu conta de que se tratava de um bebê;, disse.
Por meio de nota oficial, a Caesb informou que, quando equipes da companhia faziam a retirada do lixo no poço da estação de bombeamento dos esgotos da região. Ao ver o corpo no local, a segurança acionou a Polícia Civil. ;A Companhia ressalta que não houve registro de crime ocorrido nas dependências da empresa e que o local recebe os dejetos de toda a região do Itapoã, não sendo possível à Caesb precisar o local em que o feto foi jogado;, esclareceu o órgão.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação