Cidades

Primeiro dia tímido

postado em 08/07/2020 04:18
Barbearia, em Sobradinho, se adaptou às restrições para atender aos clientes
Com pouco movimento, academias, salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos reabriram as portas, ontem, em todo o Distrito Federal. A baixa procura, no entanto, era esperada pelos setores, que acreditam numa retomada lenta e gradual. O Correio percorreu algumas regiões e observou estabelecimentos vazios. Os segmentos retomaram as atividades após decreto do Governo do Distrito Federal (GDF) publicado no Diário Oficial do DF, na última quinta-feira, que liberou a retomada dessas atividades com uma série de medidas a serem seguidas.

A academia Halteres, na Asa Norte, recebeu dois alunos, no período da manhã. O espaço, que comporta 50 pessoas, pode atender, no máximo, 15, devido às restrições. Dono do local, José Luiz Braun conta que poucos clientes apareceram, ontem. ;Alguns vieram para dar uma olhada, saber se estamos seguindo tudo certinho e dizem que voltam;, disse.

Na Smart Fit do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), para treinar é preciso agendar horário. Embora se exercitasse em casa, a administradora Roberta Oliveira, 40, sentia falta do ambiente da academia. Por isso, deixou o treino agendado para o primeiro dia de reabertura do segmento. ;Estar aqui é antiestresse para mim. Percebi que todos os cuidados estão sendo tomados e me sinto segura. Vim de máscara e luva. Indico para aqueles que querem voltar, que venham com segurança, que está tudo bem organizado;, afirma.

A presidente do Sindicato das Academias do Distrito Federal (Sindac), Thaís Yeleni, avalia a retomada como positiva. Ela conta que muitos usuários têm procurado a entidade para elogiar o protocolo seguido pelos estabelecimentos. ;As pessoas estão indo e se sentindo seguras. Com o passar do tempo, a tendência é melhorar. Tem gente que não vem de jeito nenhum, mas têm aqueles que confiam e vão voltar;, adianta. Na contramão, muitos clientes foram às academias, ontem, para cancelar o contrato. ;Isso estava acontecendo durante o fechamento e vai continuar. Mas, acreditamos, que será algo temporário;, opina Thaís.

Beleza
Os salões de beleza, barbearias, esmalterias e centros estéticos, também, reabriram com restrições. O dono da barbearia MG, em Sobradinho, Valdair dos Santos, precisou retirar metade cadeiras do local e, agora, opera com quatro assentos, distantes um do outro. ;Estamos contentes com essa decisão do governo em reabrir, porque a gente precisava trabalhar. Cortar cabelo e fazer barba são questões de higiene. São essenciais;, defende.

Na Asa Norte, o salão Gisele Braga Hair Design, atende a um cliente por hora. Procedimentos com químicas serão até dois por dia, um pela manhã e outro à tarde. ;Nossa rotina mudou completamente. Mas, precisávamos voltar, mesmo que assim. Antes, a gente estava vindo para o salão para ligar para as clientes, para manter contato. Agora, elas voltaram a ligar para cá. Algumas estão com medo, mas tentamos passar o máximo de segurança;, afirma a cabeleireira Gisele Braga.

Em meio a retomada dos comércios, o infectologista Leandro Machado ressalta que quanto mais pessoas estão na rua, maiores as chances de infecção. Para ele, não existe momento certo ou errado para a reabertura dos comércios. ;Vamos pagar o preço por isso e pode ser caro, se tiver muitas pessoas infectadas;, completa.

O DF Legal e a Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde são responsáveis pela fiscalização das medidas do GDF. Por meio de nota oficial, o DF Legal informou que equipes estão nas ruas para orientar e verificar se os estabelecimentos estão seguindo as normas definidas pelo Executivo local.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação