Cidades

Alunos da UnB criam plataforma para ajudar produtores de orgânicos

O site Mangút foi pensado para atender os agricultores que tiveram as vendas afetadas com a pandemia do novo coronavírus

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 08/07/2020 20:26
Produtores de orgânicos poderão vender seus produtos no site MangutUm grupo de estudantes da Universidade de Brasília (UnB) criou uma plataforma on-line para auxiliar o acesso a produtos orgânicos de agricultores locais. O projeto coordenado pelo professor Sanderson Barbalho, do Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Tecnologia (FT), tem como objetivo ajudar os produtores que tiveram a venda impactada pela pandemia do novo coronavírus.

A página Mangút promove a interação, de forma gratuita, entre produtores e consumidores. A navegação é feita de forma intuitiva. Os usuários poderão filtrar a localização dos pontos de venda, verificar a disponibilidade dos produtos orgânicos e entrar em contato com o vendedor.

De acordo com a universidade, a plataforma traz diversos benefícios. O consumidor terá a oportunidade de adquirir produtos mais frescos e sustentáveis. Já o produtor terá a possibilidade de alcançar o público que não tem conseguido ir às feiras em decorrência da pandemia da covid-19.

Para o professor Sanderson, o portal Mangút busca resgatar a importância do alimento plantado na terra livre de agrotóxicos. ;Mangút é um nome ancestral que representa o que os povos originais do Brasil compreendiam por alimentação, o que vem sendo resgatado pela prática da agricultura orgânica e agroflorestal;, destaca o docente.

Dessa forma, o site só permite a comercialização de alimentos orgânicos e volta a atenção para o debate sobre alimentação saudável e o mercado local.


Idealização


O projeto teve início no curso de Engenharia de Produção da UnB junto com os professores Sanderson Barbalho e Iracema Moura, da disciplina Sistemas Agroalimentares. A ideia foi amadurecida e reuniu alunos de outros cursos que contribuíram para o aperfeiçoamento da plataforma.

Por várias mãos, o projeto foi desenvolvido em tempo recorde: apenas cinco dias. O que garantiu aos produtores uma nova perspectiva de mercado em um tempo curto. De acordo com Sanderson, os integrantes cumpriram um cronograma apertado para alcançar o resultado social o mais rápido possível.

A forma gratuita do site foi possível graças ao financiamento do grupo Silo - Arte e Latitude Rural, uma organização da sociedade civil que se dedica a acolher e promover projetos culturais em zonas rurais.

A iniciativa desenvolvida pela UnB foi contemplada em um edital do Silo, no âmbito do Laboratório de Emergência Covid-19 Reconfigurando o Futuro, que apoiou projetos voltados para a redução dos impactos causados pelo novo coronavírus no meio urbano e rural. O Mangút foi um dos 16 projetos selecionados entre as 98 propostas submetidas.

O professor Sanderson Barbalho explica que, além do Distrito Federal, o Mangút também será implementado em Manaus. Há ainda a intenção de disponibilizar o site para outras cidades do Brasil, conforme a demanda de cada região.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação