Cidades

Fundador do colégio Exatas morre em decorrência da covid-19

Professor César Augusto Severo morreu devido a complicações da doença. Ele estava internado havia cerca de uma semana

Jéssica Eufrásio
postado em 09/07/2020 16:50
 (foto:  Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)
César Augusto morreu na manhã desta quinta-feira (9/7)Fundador e coordenador pedagógico do curso pré-vestibular e do colégio Exatas, o professor de física César Augusto Severo morreu, na manhã desta quinta-feira (9/7), devido a complicações da covid-19. Após a notícia, a equipe da escola anunciou luto de três dias e suspendeu as atividades educacionais pelo mesmo período.

Em postagem nas redes sociais, o colégio informou:

"Caros alunos, pais e responsáveis (...), é com grande tristeza que devemos comunicar a todos que nosso querido professor, chefe e amigo César não resistiu aos efeitos da covid-19 e nos deixou na manhã de hoje. Em nome de todos os colegas, funcionários e da família do prof. César, agradecemos a vocês pelas orações e pensamentos positivos ao longo desses dias. Tenham certeza de que ele levou cada um de vocês ; e de todos que já passaram pelo Exatas ; no coração."

Natural de Cachoeiro do Sul (RS), César morava em Águas Claras e estava internado havia cerca de uma semana. Um dia depois de ser hospitalizado, ele foi levado para a unidade de terapia intensiva (UTI).

Colega de ofício, Hilton Chaves, 35 anos, considera o amigo uma grande pessoa e um grande profissional. "Quem lembra dele lembra do coração grande que ele tinha. Sempre em busca de ajudar. Trabalhamos juntos ao longo desses 15 anos. Para mim, é uma perda pessoal irreparável", disse.

Como legado de César, Hilton mencionou a motivação para nunca desistir do sonho de estudar e chamou atenção para o perigo da covid-19. "A tal ;gripe; leva mais uma vida e, desta vez, meu amigo. Fico com a impressão de que algumas pessoas só acordam pra essa doença desse jeito", afirmou o professor de física.

Empatia e bom humor


Para estudantes e colegas de trabalho, César era considerado um pai. "Trabalho no Exatas há 12 anos. Ele me ensinou tudo de minha profissão. O César tinha um coração enorme", comentou o professor de física Bruno Gabriel Mangabeira, 31.

Bruno ficou responsável por cuidar das aulas virtuais das turmas de César quando ele foi internado. Para o amigo, a alegria do coordenador pedagógico é o que fará mais falta. "Ele estava sempre de bom humor, tentando colocar a gente para cima, sempre com palavras de conforto para a gente não desanimar. Ele sempre foi o ponto de equilíbrio do colégio", completou Bruno.

[SAIBAMAIS]Amigo de César há 15 anos, o professor de química Sami Afanah, 33, contou que lembrará do coordenador pedagógico principalmente pelas oportunidades que ele oferecia. Além disso, Sami disse que sentirá falta da presença do colega. "Nunca conheci alguém como ele em matéria de empatia. A parte que vai marcar será chegar no Exatas e não encontrá-lo mais na sala dos professores nem ouvir a voz dele, os jargões", relatou.

Nos comentários nas mídias sociais, estudantes, familiares e amigos lamentaram a morte do professor. Entre as mais de 600 mensagens, há elogios ao trabalho e à personalidade de César, além de relatos de pesar.

"Muito triste! Que ele descanse em paz, e muito conforto aos familiares e amigos. Honra de ter tido aula com ele! Saudades que serão eternas", disse uma ex-aluna. "Grande mestre César, sempre sorridente e animado nas suas aulas. Se entendi física, foi por conta dos seus ensinamentos", acrescentou outro.

César deixa a mulher, Madalena Santana, e dois filhos, João Pedro e Sabrina.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação