Publicidade

Correio Braziliense

Distrito Federal registra 12 mortes por coronavírus neste sábado

No total, a Secretaria de Saúde registrou 68.406 infectadas. Dessas, 56.120 estão recuperadas e 11.415 estão com o vírus


postado em 11/07/2020 18:57 / atualizado em 11/07/2020 20:30

Doze mortes por coronavírus foram registradas neste sábado(foto: SAM PANTHAKY)
Doze mortes por coronavírus foram registradas neste sábado (foto: SAM PANTHAKY)
Em seis horas, o Distrito Federal registou cinco novas mortes pelo novo coronavírus, segundo levantamento da Secretaria de Saúde (SES-DF), atualizado às 18h10 deste sábado (11/7). Com isso, a capital da República contabiliza 796 óbitos causados pela covid-19, sendo que 12 ocorreram hoje.

O número de pessoas infectadas pela doença chega a 68.406. Dessas, 56.120 estão recuperadas e 11.415 estão com o vírus. Ceilândia ocupa o primeiro lugar no ranking das cidades com a maior quantidade de notificações (8.653), seguido pelo Plano Piloto (5.113), Taguatinga (4.685) e Samambaia (4.672). 

Além disso, do total de pacientes infectados, 5.975 são mulheres e 5.440 são homens. Entre eles, pessoas com idades entre 30 e 39 anos estão em primeiro lugar no número de notificações. 

UTI sem vagas

Os leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) para o tratamento da doença do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) estão com 100% de ocupação, segundo dados da Sala de Situação, plataforma da Secretaria de Saúde (SES-DF) utilizada para informar a situação da ocupação dos leitos das redes hospitalares da capital. 

Atualmente, o Hran conta com 20 leitos de UTI para atender os pacientes mais graves. O hospital também conta com mais 31 vagas para tratamento na unidade de cuidados intermediário (UCI), sendo que 19 já estão ocupados. Ou seja, sobram apenas 12 vagas para novos doentes. O local é referência para o tratamento do novo coronavírus na capital federal. 

Em nota oficial, a Secretaria de Saúde confirmou a situação. “A direção do Hran informa que novos pacientes e aqueles oriundos de outras unidades hospitalares e que necessitam de internação, ao chegarem, são acomodados em poltronas enquanto é disponibilizado um leito no pronto-socorro ou nas enfermarias”, explica o texto.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade