Cidades

Campanha Julho Verde alerta para a prevenção do câncer de cabeça e pescoço

Anualmente, há 43 mil novos casos de cânceres que envolvem as regiões da cabeça e pescoço, o que resulta em 10 mil mortes

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 20/07/2020 10:40
Hospital de Base é referência no tratamento da doençaNeste mês é celebrado o Julho Verde, campanha que tem o intuito de chamar a atenção para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de cabeça e pescoço. De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a cada ano surgem 43 mil novos casos de cânceres que envolvem as regiões da cabeça e pescoço, com 10 mil mortes anualmente.

;Infelizmente, percebemos que há uma incidência crescente desse tipo de câncer ao longo dos anos, ainda muito relacionada ao hábito do tabagismo, etilismo e, também, alguns casos decorrentes da contaminação pelo HPV (papiloma vírus humano);, alertou a oncologista Martha Tatiane Mesquita dos Santos, do Hospital de Base (HDB), referência no DF para o tratamento da doença.

Atenção aos sintomas


A médica alertou que os tumores de cabeça e pescoço são uma denominação genérica do câncer que fica em partes como boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe (onde é formada a voz), esôfago, tireoide e seios paranasais.

O prognóstico dos cânceres de cabeça e pescoço varia conforme a fase de desenvolvimento e a prevenção é a melhor forma de tratarManchas avermelhadas ou brancas na boca, aftas, lesões nos lábios que não cicatrizam, rouquidão que não melhora, nódulos no pescoço, dificuldade para engolir e mudança na voz, são sintomas que podem indicar o câncer. Com isso, é importante buscar um serviço de saúde, identificar o problema e realizar um diagnóstico precoce.

;Se qualquer sinal de alerta persistir por mais de 15 dias, é importante procurar uma avaliação médica;, adverte a oncologista. ;Quanto antes o paciente for diagnosticado, maiores são as chances de cura e qualidade de vida após o tratamento.;

Avaliação e diagnóstico


[SAIBAMAIS]O paciente precisa procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Após avaliação médica, em caso de suspeita, a pessoa será encaminhada ao cirurgião de cabeça e pescoço ou, em caso de lesões na cavidade oral, ao otorrinolaringologista ou dentista.

O primeiro passo para o diagnóstico do câncer de cabeça e pescoço é a avaliação do histórico clínico completo, além de um exame físico para constatar possíveis sintomas. Além desses métodos, para a obtenção do diagnóstico, o médico pode pedir outros exames de imagem e de laboratório, como ultrassonografia, radiografia, tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética e PET- CT. Confirmada a lesão, realiza-se a biópsia.

Tratamento individualizado


As principais opções de tratamento para pacientes com câncer de cabeça e pescoço podem incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia-alvo. Em muitos casos, podem ser administrados tratamentos combinados. É importante que todas as metodologias sejam feitas em diálogo com o médico.

O prognóstico dos cânceres de cabeça e pescoço varia conforme a fase de desenvolvimento. Nos casos precoces, a medicina acena com possibilidade de cura em torno de 70% a 90%. Já nos tumores maiores, com estágio avançado, a sobrevida cai para 30% a 50%.

*Com informações da Agência Brasília

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação