Cidades

Cinco são presos por fraude milionária de cancelamento de multas no DF

Entre alvos de operação da polícia civil estão servidor do Detran e despachantes envolvidos na fraude de quase 700 veículos

Samara Schwingel
postado em 29/07/2020 09:34
Agentes realizaram os mandados nas residências e locais de trabalho dos suspeitosA Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou, na manhã desta quarta-feira (29), uma Operação contra a fraude de cancelamentos de multas do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF). No total, foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão. A Operação Backdoor foi encabeçada pela Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) e contou com apoio da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep) do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT).


Entre os presos está um servidor da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) que estava cedido ao Detran. Ele seria responsável por repassar informações internas a ex-despachante que vendia as operações irregulares. De acordo com as investigações, as fraudes foram realizadas por meio do sistema do Detran, pela internet. Hackers teriam se aproveitado da vulnerabilidade existente no portal e conseguiram cancelar multas, bem como retirar restrições judiciais e administrativas. Além disso, também permitiram o licenciamento e a transferência de propriedade de veículos com pendências.

As fraudes eram encomendadas por proprietários e usuários dos veículos multados. O valor dos cancelamentos irregulares é de R$ 1.371.658,99 e todos foram registrados entre maio de 2019 e janeiro de 2020. O laudo pericial que apontou as irregularidades foi produzido pelo Instituto de Criminalística, através da Seção de Perícias de Informática.

As multas eram relativas a 612 veículos. Já as restrições judiciais e administrativas desbloqueadas pertenciam a outros 80.

A PCDF ressalta que o Detran/DF prestou plena colaboração com a polícia na apuração dos fatos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação