Cidades

Obras no Setor Policial Militar começam hoje; veja o que muda no trânsito

Além da melhoria na pista, serão construídos dois viadutos no local para aliviar o fluxo de veículos e criar corredor preferencial ao transporte público

Cibele Moreira
postado em 30/07/2020 06:00
A obra faz parte de um grande projeto, que é o Corredor Eixo OesteDois viadutos serão construídos na Estrada Setor Policial Militar, além da revitalização da pista que corta a região. Com isso, o trânsito na região será impactado para a execução dos serviços de drenagem, pavimentação e implantação do viaduto. Motoristas que trafegam por ali diariamente deverão ficar atentos às mudanças. Em frente ao quartel do Corpo de Bombeiros haverá um desvio para os motoristas que seguem em direção ao Eixo Rodoviário, à L4 e ao Aeroporto JK.

ilustração de dados

A pista de acesso direto ao Eixo W também estará interditada, a alternativa será pegar o desvio, fazer a tesourinha no viaduto e seguir rumo ao Eixinho W. Para quem vai em direção a W3 e ao Cemitério Campo da Esperança, não haverá alteração no trajeto. Contudo, o engarrafamento na região poderá ser intensificado. Quem utiliza o transporte público não sentirá as mudanças. As paradas de ônibus não serão interditadas.

;Entendemos os transtornos que a obra deve gerar, é uma área com bastante fluxo de carro;, destaca o secretário de Obras, Luciano Carvalho. De acordo com ele, nos horários de pico, o trânsito poderá ficar mais lento. Segundo dados da Gerência de Controle Operacional de Trânsito do Detran-DF, em média, mais de 24 mil veículos passam na região diariamente. São motoristas que vêm da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig).

Moradora do Sudoeste, Maria Cecilia Tolentino Andrade, 38 anos, conta que o tempo de deslocamento deve dobrar durante o período da obra. ;Eu passo por ali diariamente, o fluxo de veículos é bem intenso. Normalmente, levo aproximadamente 10 a 15 minutos para chegar ao meu trabalho, que fica no Setor Policial. Com a obra, devo levar uns 30 minutos;, ressalta a médica.

Mesmo com os transtornos, ela comemora o início da implementação dos dois viadutos. ;Quando (a obra) ficar pronta vai trazer bastante melhorias. Vai desafogar muito trânsito, não só para mim, mas para todo. Fora a rede do transporte público, que será beneficiada com o fluxo direcionado ao terminal da Asa Sul;, destaca.

De acordo com o secretário Luciano Carvalho, o principal intuito é beneficiar o transporte público. ;Os dois viadutos serão construídos para dar melhor fluidez ao trânsito e facilitar o deslocamento dos ônibus na via. Essa obra faz parte de algo maior, queremos criar um corredor preferencial ao transporte público, parecido com a do BRT;, explica. Uma outra novidade é que o pavimento dos viadutos será todo em concreto, para ter maior durabilidade. A obra está orçada em R$ 7,7 milhões, e o prazo de conclusão é de um ano.

Projeto

A revitalização da Estrada Setor Policial Militar compõe um projeto maior chamado Corredor Eixo Oeste que foi dividido em duas partes, por questões de logística e segurança. Nesse primeiro momento, a obra está concentrada no trecho localizado entre o Quartel do Comando-Geral da Polícia Militar até o Terminal da Asa Sul, onde serão construídos os dois viadutos.

Um dos viadutos será feito na alça de acesso da Estrada Setor Policial Militar ao Eixo W. A estrutura terá oito metros de altura, 33 metros de comprimento e 19 metros de largura. O outro viaduto ficará localizado na alça de acesso ao Eixo Rodoviário L, sentido L4, e terá 29 metros de comprimento, 15 metros de largura e altura aproximada de 8 metros.

Com 38,7km de extensão, o Corredor Eixo Oeste prevê o alargamento de pistas e a construção de faixas exclusivas para ônibus nas principais vias de ligação do Sol Nascente com o Plano Piloto, como a Hélio Prates, a Estrada Parque Indústrias Gráficas e a Estrada Setor Policial Militar, que leva ao Terminal da Asa Sul. O objetivo é reduzir em meia hora o tempo de deslocamento até o Plano Piloto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação