Publicidade

Correio Braziliense

Veja os principais pontos abordados por Rollemberg e Ibaneis durante debate

Os candidatos ao Buriti participaram do embate promovido pelo Correio e pela TV Brasília nesta quinta-feira (11/10)


postado em 11/10/2018 20:36 / atualizado em 11/10/2018 20:51

Rollemberg e Ibaneis estreiam segundo turno com debate no Correio (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Rollemberg e Ibaneis estreiam segundo turno com debate no Correio (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

 Os candidatos que concorrem ao segundo turno pelo Governo do Distrito Federal discutiram, na noite desta quinta-feira (11/10), os principais pontos do plano de governo de cada um. O advogado Ibaneis Rocha (MDB), que liderou a primeira etapa do pleito com 41.97% dos votos válidos, e o atual governador e postulante à reeleição, Rodrigo Rollemberg (PSB), que reuniu 13.94%, participaram do debate promovido pelo Correio e pela TV Brasília. Assuntos como saúde pública, centrais de fiscalização e projetos para transporte público foram analisados pelos concorrentes ao Buriti. 
 
Leia abaixo as propostas de Ibaneis e de Rollemberg sobre alguns desses assuntos:
 

Invasões e Agefis


Ibaneis: "Eu defendo de forma bastante clara que a Agefis continue fiscalizando a cidade, mas junto às regiões administrativas. As invasões proliferaram e condomínios ilegais foram construídos, mas isso é culpa dos políticos que passaram antes e o senhor esteve em quase todos os governos. Eu nunca participei da política de invasões"

Rollemberg: "Eu nunca participei de políticas de invasão e sempre defendi a legalidade. Sempre combati a grilagem de terras públicas e garanto que o cidadão que quer ter uma terra vai consiguir uma escritura"  

Saúde pública

Ibaneis: "Esse modelo dele serve para burlar a legislação. Não tem serviço público nem lei de licitações e faz o que vem fazendo: só comprando através de compras emergenciais, com decretos emergenciais, e sem dar o atendimento à população 
 
Rollemberg: "O Instituto Hospital de Base é um serviço autônomo, reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal e que garante modernidade na gestão. Permite a melhoria do atendimento à população. É 100% público e  gratuito. Quando ele começou, tinham 107 leitos fechados e foram reabertos. Tinham seis salas de cirurgia funcionando, hoje temos 12 cirurgias. Estão fazendo o dobro de cirurgia, diminuímos a fila de radioterapia. Reconhecemos que há muito problema na saúde, não só no DF. Mas agora sabemos qual o modelo ideal" 
 

Centro Administrativo de Taguatinga


Ibaneis: "Se houve caso de corrupção, compete ao Judiciário condenar aqueles envolvidos. Mas quero sentar com a Caixa Econômica, com as empresas, com o Ministério Público e com o Judiciário como modo de destravar se tiver que regularizar essa operação, porque a comunidade precisa da obra. A obra não pode ser entregue e pago o terreno e atender a sociedade que precisa que a obra funcione. Quero sentar com órgãos de controle e colocar o centrade para funcionar"

 
Rollemberg: "O Centrad é mais um caso de polícia. Até aqui não foi utilizado nenhum real de recurso público no Centrad. É mais uma operação que ia levar o dinheiro da população e beneficiar agentes políticos. Para lá, mudariam 12 mil servidores e custariam algo em torno de R$ 60 milhões por ano. O custo a ser pago seria de R$ 250 milhões por ano, ou seja, uma despesa a mais de R$ 190 milhões por ano. O Hospital da Criança custou R$ 106 milhões. A solução tem que ser dada pelo consórcio privado, com o apoio do GDF, que tem que pagar pelo terreno público e tornar aquilo um polo tecnológico ou de desenvolvimento" 


Mobilidade urbana 


Ibaneis: "Não carrego os vícios do passado. Eu pedalo e sei que as ciclovias que estão no Distrito Federal não funcionam e não servem como modais de transporte. Um modelo de ciclovias sem integração não vale como modelo de modalidade de transporte. No meu governo, vou fazer com que pessoas saiam de bicicleta até o local que consiga pegar um transporte público de qualidade.Se eleito, as ciclovias serão feitas e integradas com pontos de transportes públicos de qualidade" 

Rollemberg: "Reconhecemos que temos que investir nas interligações e vamos interligar 1.200km de ciclovias de todo o DF e será a maior malha de toda a América Latina. Vou construir 3 mil bicicletários fazendo a integração. O projeto já existe e os recursos estão sendo captados" 


Educação pública


Ibaneis: "Precisamos cuidar da educação. A briga constante com os sindicatos atrapalha estabelecer uma conversa com os profissionais da educação"
 
Rollemberg: "Nós criamos nesse período 27 creches e 16 mil vagas em creches e na educação infantil, o que nos permite garantir que vamos criar 25 mil vagas para crianças de 6 meses a 5 anos. Nós construímos a escola técnica do Guará, estamos construindo uma em Brazlândia e vamos fazer mais cinco escolas técnicas para qualificar os jovens. As escolas receberam recursos para melhorar a cantina e o pátio. Se no primeiro ano de governo, investimos na expansão e na infraestrutura, agora vamos investir na qualidade. Vamos melhorar a remuneração dos profissionais e vamos investir em qualidade com um debate permanente com os professores"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade