Publicidade

Estado de Minas

Tratamentos experimentais para câncer de pele têm resultados promissores


postado em 05/06/2012 08:20

No maior congresso mundial sobre câncer, o encontro da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco), realizado nesta semana, em Chicago (EUZ), cientistas apresentaram dois novos tratamentos promissores para o câncer de pele melanoma avançado. Apesar da baixa incidência — no Brasil, representa apenas 4% das neoplasias malignas desse órgão —, a doença é bastante agressiva e, até agora, só existe um medicamento no mercado para combatê-la. Os efeitos dos novos fármacos, ainda em fase experimental, foram comparados à quimioterapia tradicional e alcançaram resultados mais favoráveis.

Combinadas, as substâncias trametinib e dabrafenib neutralizam a proteína MEK, responsável por fazer o tumor crescer, e inibem a ação do gene mutante BRAF, que está presente na metade dos casos de câncer de pele melanoma. É por causa dessa variante que as células começam a crescer de maneira desordenada e a se espalhar pelo organismo. “Esse é o primeiro tratamento de uma nova classe de medicamentos que pode beneficiar os pacientes que sofrem um melanoma com uma mutação do gene BRAF”, disse a médica Carolina Robert, que dirige o serviço de Dermatologia do Instituto Gustave Roussy de Paris, principal autora do estudo, no qual as duas substâncias foram avaliadas. “Os resultados desse estudo clínico demonstrou que atacar a proteína MEK é uma estratégia viável para tratar muitas pessoas com melanoma”, assegurou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade