Publicidade

Estado de Minas

Ida regular ao oftalmologista permite o diagnóstico do glaucoma

Assintomático, o aumento da pressão intraocular provoca o glaucoma, uma das principais causas de cegueira no mundo


postado em 10/06/2014 06:35 / atualizado em 10/06/2014 08:41

Belo Horizonte — Assintomático, o glaucoma afeta mais de 1 milhão de pessoas. Caracteriza-se pelo aumento da pressão intraocular, que compromete os vasos sanguíneos que nutrem as estruturas visuais do fundo do olho. Na falta de irrigação sanguínea adequada, as células do nervo óptico se comprometem e, se o problema persistir, elas podem morrer, provocando a perda da visão. A doença no nervo óptico, alertam especialistas, é uma das principais causas de cegueira irreversível no mundo.

Leia mais notícias em Ciência e Saúde


Ricardo Guimarães, diretor do Hospital de Olhos em Belo Horizonte, explica que o aumento da pressão intraocular ocorre devido a um bloqueio no canal que drena o humor aquoso, líquido responsável por nutrir algumas estruturas do interior do olho. “Com a obstrução, há o aumento desse líquido, pressionando o nervo óptico, que é o elemento condutor dos estímulos visuais ao cérebro”, detalha. Nessas condições, há sérios prejuízos às fibras do nervo óptico, gerando uma gradativa perda de visão.

A pressão interna do olho pode aumentar de forma imperceptível e é esse fator que preocupa os especialistas da área. “Em outros casos, à medida que a doença se desenvolve, os pacientes podem sentir sensibilidade à luz aguçada, lacrimejamento excessivo, surtos de visão borrada, forte dor ocular, halos coloridos ao redor das luzes e até náuseas e vômitos”, relata Guimarães. Ele explica que o ideal é que todas as pessoas, tendo ou não casos da doença na família, se preocupem com a prevenção e o diagnóstico visual precoce. “O quanto antes o glaucoma ou outras doenças forem detectadas, maiores as chances de garantir ao paciente uma visão saudável e maior qualidade de vida.”

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade