Publicidade

Estado de Minas

Construção do maior telescópio do mundo começa no norte do Chile


postado em 12/11/2015 09:11

O Telescópio Gigante de Magalhães, que quando entrar em operação em 2021 será o maior do mundo e terá capacidade para produzir imagens 10 vezes mais nítidas do que o Telescópio Espacial Hubble, começou sua construção nesta quarta-feira (11/11) no norte do Chile.

Com céus extraordinariamente cristalinos a maior parte do ano, o norte do Chile já é o lar dos maiores instrumentos de observação astronômica, aos quais se somará nos próximos seis anos o Telescópio Gigante de Magalhães (GMT, na sigla em inglês).

Na quarta-feira, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, participou da cerimônia de lançamento da pedra fundamental do complexo astronômico, que tem um orçamento de mais de 500 milhões de dólares.

"O GMT será o maior telescópio do mundo no início de suas primeiras operações até 2021. Ele irá produzir imagens espaciais dez vezes mais nítidas do que as do Telescópio Espacial Hubble e abordará questões fundamentais da cosmologia, astrofísica e estudo de planetas fora nosso sistema solar", disse um comunicado de imprensa da organização.

Leia mais notícias em Ciência e Saúde

O GMT ficará localizado no Observatório de Las Campanas na região de Coquimbo, cerca de 450 km ao norte de Santiago, no deserto do Atacama. Seu design combina sete dos maiores espelhos que podem ser fabricados, cada um com 8,4 metros de largura, para criar um telescópio único efetivo de 25 metros de diâmetro.

"O GMT permitirá aos astrônomos para caracterizar os planetas que orbitam outras estrelas, testemunhar o início da formação de galáxias e estrelas, e obter evidências de matéria escura e energia escura", de acordo com a organização.

No entanto, a fim de "descobrir planetas como a Terra em torno de estrelas próximas e pequenas perturbações que os buracos negros com que a luz de estrelas e galáxias distantes".

Espera-se também que o novo instrumento revela "os objetos mais tênues jamais visto no espaço, incluindo galáxias muito distantes e antigas, cuja luz tem viajado para a Terra a partir logo após o Big Bang ocorreu, 13,8 bilhões de anos atrás".

A organização GMT consiste de onze instituições internacionais nos Estados Unidos, Austrália, Brasil e Coreia do Sul, como o Chile como país anfitrião. GMT é esperado para 2021 e até 2024 deve estar totalmente operacional.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade