Publicidade

Correio Braziliense

Jovens com obesidade têm problemas de mastigação

Estudo com 230 adolescentes de São Paulo mostra que aqueles com problemas de peso têm hábitos como cortar alimentos em pequenos pedaços e comer apenas de um lado da boca. O excesso de oferta de produtos processados pode explicar o costume


postado em 16/01/2017 06:00 / atualizado em 16/01/2017 08:03

(foto: Arte/CB/D.A Press)
(foto: Arte/CB/D.A Press)
“Mastigue dos dois lados e devagar!”. “Beba menos líquido com a comida!”. Os conselhos muitas vezes repetidos aos filhos pequenos e até adolescentes encontrou amparo na ciência. Aliás, foi para entender se havia fundamento nesse conhecimento popular que a pesquisadora Paula Midori Castelo decidiu testar se poderia haver associação entre a mastigação e o sobrepeso. E tem.

“Observamos frequência maior de alterações nos músculos da face e de hábitos prejudiciais à nutrição nos jovens com sobrepeso ou obesidade do que nos com peso normal”, conta a pesquisadora ligada ao Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em Diadema. O estudo coordenado por Castelo foi conduzido com colegas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no campi de Piracicaba, e contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Participaram da pesquisa 230 adolescentes com idade entre 14 e 17 anos, filmados pelos investigadores enquanto mastigavam. Os vídeos foram analisados por uma fonoaudióloga, que avaliou a forma de mastigar de cada um dos voluntários. A alteração constatada que mais se sobressaiu foi o costume de mastigar apenas em um dos lados da boca, diz Castelo. Nenhum dos participantes tinha cárie ou qualquer problema na arcada dentária que levasse a esse comportamento.

“O alimento precisa ser jogado de um lado para o outro, formar um bolo uniforme para evitar a formação de bolhas de ar que dão desconforto e atrapalham a digestão”, ressalta a pesquisadora. Como a mandíbula deixa de atuar igualmente nesse processo, “também pode haver alterações na estrutura de um dos lados do arco dentário”, completa Castelo. O costume de mastigar com mais frequência de um lado da boca foi observado, sobretudo, entre as meninas com sobrepeso ou obesas.

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade