Publicidade

Correio Braziliense

Especialistas veem sinais de redução do branqueamento de recifes de coral

O fenômeno, classificado por especialistas como catástrofe ambiental, é observado por imagens de satélite das três bacias oceânicas


postado em 21/06/2017 11:03

Todos os recifes de coral tropicais sofrem com o impacto de temperaturas acima do normal(foto: Great Barriier Reef Marine Park)
Todos os recifes de coral tropicais sofrem com o impacto de temperaturas acima do normal (foto: Great Barriier Reef Marine Park)


Após três anos de alta temperatura nos oceanos e grande apreensão quanto ao futuro da diversidade marinha, há sinais de redução do branqueamento de recifes de coral, segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). Os especialistas do órgão chegaram à conclusão ao analisarem imagens de satélite das três bacias oceânicas — Atlântico, Pacífico e Índico. 

A intenção é monitorar de perto as temperaturas dos mares e o branqueamento pelos próximos seis meses “para confirmar o fim do evento”. Todos os recifes de coral tropicais sofrem com o impacto de temperaturas acima do normal, sendo que mais de 70% estão submetidos a condições que causam o branqueamento. 

Nesse caso, o coral expulsa as algas que vivem em simbiose com ele, fornecendo, além da cor, alimentos. Sem o suporte, em muitos casos, o coral morre.  O fenômeno tem sido classificado por especialistas como catástrofe ambiental,  já que as barreiras de coral abrigam uma grande variedade de vida marinha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade