Publicidade

Correio Braziliense

Japão passa a vigiar corais por suspeita de pesca ilegal chinesa

O coral precioso, termo que engloba quase 30 espécies de coral, é muito apreciado há várias décadas em determinadas partes da Ásia para a produção de joias e outras peças


postado em 16/08/2017 10:38

(foto: Gregory Boissy / AFP - 18/10/2015 )
(foto: Gregory Boissy / AFP - 18/10/2015 )
Tóquio, Japão - O Japão iniciou nesta quarta-feira (16/8) uma investigação sobre o coral precioso nas costas da ilha meridional de Kyushu, por suspeitas de que estaria sendo extraído ilegalmente por chineses para joalheria.

A Agência de Pesca vai coordenar a investigação sobre o estado do coral até o início de setembro, com o auxílio de uma câmera submarina.

O coral precioso, termo que engloba quase 30 espécies de coral, é muito apreciado há várias décadas em determinadas partes da Ásia para a produção de joias e outras peças.


A agência nipônica coordenou uma investigação similar em 2015 perto das ilhas de Ogasawara e em Okinawa, depois constatar o aumento do número de barcos chineses que pescavam coral em águas territoriais japonesas.

Para lutar contra a atividade ilegal, o governo japonês revisou em 2014 as leis sobre a pesca ilegal na Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do país e triplicou o valor das multas máximas até 30 milhões de ienes (230.000 euros, 270 mil dólares). 

O Japão prendeu em julho um capitão chinês perto da costa de Nagasaki por violação da lei de pesca. Em seu barco, as autoridades encontraram coral precioso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade