Publicidade

Correio Braziliense

Alimentação: uma aliada na prevenção contra o câncer de mama

Acompanhamento médico, boa alimentação e hábitos saudáveis podem reduzir o risco de câncer


postado em 19/10/2017 21:59

(foto: AFP / Robyn Beck)
(foto: AFP / Robyn Beck)

 
A prevenção é um dos fatores primordiais contra o câncer de mama que vem sendo lembrado no mês do Outubro Rosa. Porém, o oncologista Diego Fernandes, explica que além dos exames de rotina, o hábito alimentar saudável é necessário tanto para ajudar a prevenir, quanto para quem tem ou já teve a doença. Segundo ele, cerca de 20% dos casos são provocados por conta da má alimentação.
 
 
“As pessoas devem abusar de frutas, leguminosas, cereais integrais e evitar o consumo de alimentos processados, como salame, refrigerantes e fast food. Quem está em tratamento ou se curou, também tem que cuidar da alimentação, deve evitar o consumo de açúcar, pois tem chance maior do câncer voltar”, alerta.
 
Mas será possível se alimentar de maneira correta sem gastar muito? A nutricionista Janayna Mendonça Gonçalves, explica que sim. “As pessoas têm uma rotina de vida agitada e deixam a alimentação em segundo plano. Com isso, acabam ingerindo alimentos que podem ser tóxicos ao organismo, intensificando a possibilidade de desenvolver o câncer. Os produtos que devemos consumir são possíveis de adicionar na rotina e não custam caro, não são dietas difíceis de serem consumidas”.
 
Janayna conta que a alimentação deve ser rica em fibras, ômegas 3, 6 e 9, vitaminas e minerais, que podem ser encontrados em peixes como sardinhas, salmão e bacalhau; cereais ricos em fibras, como por exemplo, chia, quinoa, linhaça e aveia, que auxiliam na digestão; frutas vermelhas como o morango, ameixa e amora que são importantes fontes de antioxidantes e auxiliam na eliminação dos radicais livres e toxinas; cenoura, que é fonte de betacaroteno e antioxidante. Tudo isso atrelado à prática de atividades físicas e ao consumo de água em abundância.
 
Quem está em tratamento deve ter uma alimentação equilibrada e saudável, com nutrientes, fibras, vitaminas e minerais. “Deve evitar jejuns prolongados, se alimentar de 3 em 3 horas no máximo. Antes das grandes refeições, deve ingerir metade de uma maçã, uma fatia de melão ou uma pêra, pois essas frutas podem diminuir a sensação de enjoo. Deve também procurar a orientação de um nutricionista, pois com a alimentação direcionada, os sintomas melhoram, contribuindo para uma melhor qualidade de vida”, destaca.

Outros alimentos que auxiliam na prevenção contra o câncer de mama, segundo a nutricionista:

 
Brócolis - Vegetal rico em antioxidantes, vitaminas, minerais e fibras. Tem baixa caloria e é um importante aliado na prevenção do câncer.
Romã - Antioxidante, suas sementes são ricas em ácido elágico, que podem inibir enzimas que desempenham papel na geração do câncer de mama. 
Feijão e lentilha - Essas leguminosas são ricas em folato, fibras, ferro e outros nutrientes que ajudam a manter a saúde das células. Auxiliam o organismo a eliminar gorduras.
Espinafre - É fonte de folato e vitamina B, que trabalham em conjunto com os antioxidantes
e eliminam as células que poderiam causar o câncer.
Tomate - Fonte de licopeno, devido ao aumento da concentração de adiponectina, hormônio que está associado com a diminuição do risco de câncer de mama.
Azeite de oliva - Aumenta o bom colesterol.


Dieta cetogênica

A nutróloga Melissa Chaves, explica que existe também a dieta cetogênica, que vem sendo debatida como possibilidade de tratamento coadjuvante em alguns casos. O falecido jornalista Marcelo Rezende, diagnosticado com câncer de pâncreas era um dos adeptos. Segundo a dieta cetogênica, as células cancerígenas se alimentam de glicose e por isso segue baixo nível de consumo de carboidrato, com nível alto de gordura e moderado de proteína. Ao limitar os carboidratos que se transformam em glicose no organismo, as células do câncer ‘morreriam de fome’.
 
“Não há comprovação científica de que essa dieta funcione, os estudos são restritos. É uma dieta específica, que deve ser seguida de acompanhamento. O que se sabe é que a obesidade e o sobrepeso é um fator de risco alto para o câncer de mama e outros tipos. Deve ser evitado o excesso de bebidas alcoólicas, café e cigarro. Além de cuidar da alimentação, tem que se manter ativo”, ressalta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade