Publicidade

Correio Braziliense

Britânico sofre ruptura da garganta ao tentar segurar um espirro

O paciente ficou sem condições de falar nem engolir por vários dias. Prender o nariz e a boca na hora do espirro pode causar outros problemas graves, como perfuração do tímpano e aneurisma cerebral, alertam especialistas


postado em 15/01/2018 21:30

(foto: mcfarlandmo/Flickr)
(foto: mcfarlandmo/Flickr)
 
 
Tampar o nariz e segurar a boca fechada na hora de espirrar é uma péssima ideia, advertem médicos britânicos em um artigo publicado nesta segunda-feira (15/1) na revista especializada BMJ Case Reports.

No artigo, eles descrevem o caso de um homem de 34 anos que, ao tentar impedir um espirro dessa maneira, sofreu uma ruptura do fundo da garganta, o que o deixou quase incapaz de falar e engolir, além de provocar muita dor.

No relato, a equipe que realizou o atendimento se disse surpresa, pois nunca havia atendido um caso de ruptura da garganta provocado por um espirro interrompido. Esse problema é raro, às vezes causado por uma batida e, ainda mais raramente, por vômito e tosses muito intensas. 


Tímpano perfurado e aneurisma


Com essa descrição, os médicos adicionam mais uma possível consequência de se segurar um espirro. "Parar um espirro via o bloqueio das narinas e da boca é uma manobra perigosa e deve ser evitada. Ela pode causar várias complicações, como pseudomediastino (retenção de ar entre o peito e os pulmões), perfuração da membrana do tímpano e até mesmo aneurisma cerebral", escrevem os autores.

No caso do paciente de 34 anos, os médicos, ao examiná-lo, conseguiram ouvir estalos que se estendiam do pescoço à caixa torácica, o que indicava a presença de bolha de ar nos tecidos profundos e nos músculos do peito, um resultado da ruptura. A suspeita foi confirmada por uma tomografia computadorizada. 

Com risco de sofrer sérias complicações, o paciente foi internado e precisou ser alimentado por tubo e receber antibiótico intravenoso por sete dias. Depois desse período, ele se recuperou e recebeu alta, ouvindo dos médicos a indicação de nunca mais bloquear um espirro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade