Publicidade

Correio Braziliense

Núcleo da Via Láctea pode abrigar milhares de buracos negros, diz estudo

A descoberta fornece a primeira evidência de uma teoria de longa data de que o buraco negro maciço no centro de todas as grandes galáxias deveria estar cercado por milhares de outros menores


postado em 05/04/2018 07:57 / atualizado em 05/04/2018 08:03

Buracos negros são geralmente 'bastante impossíveis' de se ver(foto: Ligo/Divulgacao)
Buracos negros são geralmente 'bastante impossíveis' de se ver (foto: Ligo/Divulgacao)

Paris, França - Astrofísicos detectaram uma dúzia de buracos negros no centro da nossa galáxia Via Láctea, e disseram nessa quarta-feira (4/4) que pode haver até 10 mil. A descoberta fornece a primeira evidência de uma teoria de longa data de que o buraco negro maciço no centro de todas as grandes galáxias deveria estar cercado por milhares de outros menores, escreveram os pesquisadores na revista científica Nature. 

"Observamos uma dúzia de buracos negros" em torno de Sagitário A, o buraco negro no centro da Via Láctea, disse o coautor do estudo Chuck Hailey, astrofísico da Universidade de Columbia, em Nova York. "Mas esta é a ponta do iceberg", afirmou Hailey à AFP. 

Buracos negros são geralmente "bastante impossíveis" de se ver, de acordo com o físico. Eles se alimentam de gás e poeira das suas proximidades, mas os raios X que eles emitem são esporádicos e difíceis de observar a partir da Terra. 

Para tentar superar essa dificuldade, Hailey e uma equipe decidiram rastrear "binários" de buracos negros - pares que se formam ocasionalmente quando um buraco negro captura uma estrela que passa e se liga a ela. 

Quando a estrela capturada tem uma massa baixa, o binário emite explosões de raios X que são fracas mas consistentes e fáceis de detectar. A equipe observou as assinaturas de raios X de 12 binários de buraco negro dentro de três anos-luz de Sagitário A.

"Toneladas de buracos negros" 

Com base em dados do estudo de buracos negros mais próximos da Terra, eles extrapolaram que deve haver cerca de 500 binários ao redor do núcleo da nossa galáxia, a maioria deles muito fraca para observar. 

"O passo final vem de teóricos, que estimam que apenas cerca de um em cada 20 buracos negros isolados eventualmente encontrarão uma estrela companheira" para formar um binário, explicou Hailey. 

"Então, multiplicando por 20, obtemos cerca de 10 mil buracos negros isolados" em torno de Sagitário A, acrescentou. Os cientistas já haviam identificado anteriormente cinco dúzias de buracos negros no resto da galáxia, mais longe do centro. 

No total, a Via Láctea tem cerca de 100.000 anos-luz de largura. Os maiores buracos negros têm massas que variam entre milhões e bilhões de vezes a massa do Sol. 

"Nossa galáxia é bastante normal, então se você vê toneladas de buracos negros aqui, eles devem existir nos centros da maioria das galáxias", disse Hailey. "Não tínhamos evidência de muitos buracos negros antes, e nossas estimativas, baseadas na dúzia que vemos, são consistentes com nossas expectativas. Isso é gratificante", acrescentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade