Publicidade

Correio Braziliense

Foto do eclipse lunar feita por brasileiro ganha destaque na Nasa

Foto de Carlos Fairbairn foi feita da Praia de Botafogo, no Rio de Janeiro, e mostrava a Lua de Sangue acima do Pão de Açúcar


postado em 01/08/2018 08:31 / atualizado em 01/08/2018 12:54

Imagem da Lua de Sangue durante o eclipse lunar, sobre o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro(foto: Reprodução/Facebook)
Imagem da Lua de Sangue durante o eclipse lunar, sobre o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro (foto: Reprodução/Facebook)

A foto do eclipse lunar feita por um brasileiro foi destacada pela Nasa como a foto astronômica do dia na última segunda. Carlos Fairbairn registrou o fenômeno conhecido como 'Lua de sangue' durante o eclipse da última sexta-feira (27/7). A imagem, feita na Praia de Botafogo, mostra a Lua avermelhada acima do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro.

O fotógrafo contou que usou uma lente de 100mm de distância focal. Acostumado a fazer registros do tipo, Carlos Fairbairn havia planejado a foto uma semana antes, com a ajuda de um aplicativo. No entanto, no dia, ele não precisou de muito tempo para fazer a foto. Se posicionou no local indicado pelo app e a foto aconteceu uns 15 minutos depois de ele montar a câmera com o tripé.


Ao Correio, Carlos Fairbairn comentou que a imagem foi escolhida pelo momento e local que foi tirada. "São três ícones juntos, na mesma imagem: Lua Eclipsada, Marte e um dos cartões postais mais famosos do Brasil e do mundo", explicou. Questionado sobre qual o palpite dele para explicar a escolha desta imagem pela Nasa, dentre tantas outras tiradas no dia, ele afirma que a dele "se comunica com as pessoas". "A paisagem por si só é muito fotogênica. Ter um fenômeno astronômico acompanhando essa paisagem é algo que fez dessa uma foto que se comunica com as pessoas, e por isso penso que a imagem se tornou popular", analisa.

 

 

Em suas redes sociais, como no Instagram por exemplo, Carlos tem diversas imagens de céu, estrelas e fenômenos como o eclipse. No Facebook, ele descreveu que a imagem da Lua de Sangue foi uma das visões mais incríveis que ele viu na cidade do Rio de Janeiro. " Marte, quase em sua aproximação máxima com a Terra também deu o ar da sua graça. Estava muito brilhante no céu, e ajudou a compor a imagem de forma magistral", escreve. Na publicação, ele também contou que foi muito animador ver a grande quantidade de pessoas que estava na Praia de Botafogo, esperando a Lua sair no leste.



Apaixonado por fotografia do Cosmos, Fairbairn  diz que interagir com o Universo, para ele, é uma forma de colocar as coisas em perspectiva. "O ambiente no qual faço essas fotos é muito inspirador. Vejo céus absurdamente estrelados e uma natureza encantadora. Fotografo galáxias, nebulosas e muitos outros objetos do Cosmos. Isso faz com que eu amplie meu universo pessoal e expanda minha mente para além dessa tônica asséptica do nosso dia a dia", esclarece.

Embora tenha no perfil dezenas de fotos encantadoras e que demonstram o conhecimento que ele tem das técnicas de fotografia, Carlos Fairbairn diz que não vê isso como um dom, sim como uma técnica que se aprende com o tempo e a prática. "Quando fazemos realmente algo que gostamos, as horas de estudo e o esforço que colocamos para aprender um ofício é percebido de forma mais leve. É o gostar, o ser fascinado e apaixonado pela coisa que faz uma pessoa evoluir em qualquer atividade", conclui.

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)

 

Eclipse movimentou o mundo 

 

O eclipse da última sexta-feira (27/7) se tornou assunto em todo o mundo, por ter sido o mais longo do século. Além do Brasil, o fenômeno também pode ser visto da Oceania, Ásia, África e Europa. Na orla do Rio de Janeiro, milhares de pessoas se aglomeraram para acompanhar o eclipse e até um evento foi organizado na Fundação Planetário do Rio, cujas centenas de senhas se acabaram em segundos.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade