Publicidade

Correio Braziliense

'Maré vermelha' dizima população aquática na costa oeste da Flórida

A maré vermelha é um fenômeno natural causada por um organismo unicelular microscópico conhecido como Karenia brevis, geralmente mortal para os animais marinhos


postado em 17/08/2018 17:55

O atual surto de maré vermelha na Flórida começou em outubro de 2017, e piorou consideravelmente nas últimas semanas(foto: AFP )
O atual surto de maré vermelha na Flórida começou em outubro de 2017, e piorou consideravelmente nas últimas semanas (foto: AFP )
 
Sarasota, Estados Unidos - Uma devastadora 'maré vermelha' escurece as águas do mar e está matando golfinhos, tartarugas e peixes em um ritmo frenético na costa oeste da Flórida, onde as autoridades declararam estado de emergência.

Só este mês, mais de 100 toneladas de animais marinhos mortos foram retirados das praias da costa sudoeste da Flórida, uma área normalmente lotada de turistas, agora impregnada pelo forte mau cheiro.

Só na semana passada, 12 golfinhos apareceram mortos na costa do condado de Sarasota. Normalmente, este é o número de cetáceos mortos em um ano inteiro.

"É física e mentalmente esgotante", disse Gretchen Lovewell, encarregada de uma equipe do Mote Marine Laboratory, que recolhe tartarugas e mamíferos marinhos em risco ou mortos. Ela e outros dois colegas estiveram "trabalhando literalmente dia e noite" no local, acrescentou Lovewell.

No domingo, perto da areia esponjosa de Siesta Key - classificada pela indústria turística como uma das praias mais bonitas dos Estados Unidos -, Lovewell retirou a carcaça decomposta de um golfinho. Tinha um número marcado em sua nadadeira dorsal: 252.

Era um macho de 12 anos, chamado Speck, que tinha sido visto 300 vezes por pesquisadores que monitoram gerações de golfinhos nariz-de-garrafa na baía de Sarasota.

"Foi devastador", disse Randall Wells, diretor do programa de pesquisas de golfinhos de Sarasota. Iniciada em 1970, é o estudo mais extenso já realizado sobre a população de golfinhos selvagens.

O cientista mostrou um mapa com os pontos onde Speck foi visto nos últimos anos. Costumava nadar em águas perto da casa do próprio Wells.

Os pesquisadores também rastreavam a mãe e a avó de Speck, que morreram após engolir equipamentos de pesca.

"Conhecíamos Speck desde que nasceu", disse Wells, que começou a estudar golfinhos com 16 anos. "Demos a ele o nome do meu pai".

Como a maré vermelha mata?

A maré vermelha é a principal suspeita da morte de Speck, mas os cientistas não saberão com certeza até que tenham todos os resultados de laboratório prontos em algumas semanas.

A maré vermelha é um fenômeno natural. É causada por um organismo unicelular microscópico denominado Karenia brevis, único no Golfo de México.

Este organismo libera um poderoso neurotóxico que pode ser transmitido pelo ar e causa aos humanos dores de cabeça, irritação nos olhos, tosse e asma. Mas pode ser mortal para os animais marinhos.

Os ecólogos dizem que este organismo tem a mesma função que o fogo natural nas florestas: limpa as ervas daninhas e permite o começo de uma nova vida.

A Karenia brevis é encontrada o ano todo em níveis baixos. Mas, quando se multiplica, as tartarugas marinhas e os peixes-bi, podem inalá-la ou morrer por comer ou algas infectados pelo neurotóxico. Os sintomas incluem desorientação, falta de coordenação e convulsões. Há casos de maré vermelha documentados pelos exploradores espanhóis, inclusive no século XVI.

"Mas a pergunta agora é o que nós podemos estar fazendo para que a maré vermelha aumente e permaneça por mais tempo", disse Richard Pierce, cientista sênior do Mote Marine Laboratory e especialista em ecotoxinas.

O atual surto de maré vermelha na Flórida começou em outubro de 2017, e piorou consideravelmente nas últimas semanas. Espalhou-se ao longo da costa oeste da Flórida, em um trecho de 320 quilômetros de Tampa a Naples.

A agricultura industrial e o tratamento inadequado dos rejeitos está incentivando o crescimento da alga verde-azulada, ou cianobactéria, outro problema que castiga as águas da Flórida. O mesmo poderia estar ocorrendo agora com a maré vermelha, dizem especialistas.

Por outro lado, o cheiro de peixe podre foi um soco no estômago para a economia da Flórida. "Nossa vida se baseia no turismo aqui no sudoeste da Flórida", disse Omar Botana, proprietário de um comércio de aluguel de botes em Bonita Springs, no norte de Naples. "Afeta cerca de 40% do nosso negócio", acrescentou.

Os moradores esperam que os legisladores e as autoridades de governo ajam para restabelecer o fluxo de água que viaja para o sul através dos Everglades, utilizando menos fertilizantes e construindo represas terra adentro, onde os poluentes podem ser tratados antes de chegar à costa. Entretanto, não se sabe quando a maré vermelha atual pode terminar.

Wells lembrou que os golfinhos continuaram sofrendo depois de terminado o último episódio importante de maré vermelha, entre 2005 e 2006.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade