Publicidade

Correio Braziliense

Cheirar hambúrguer por 2 minutos pode ajudar a resistir a junk food, diz estudo

Estudo publicado em 'Journal of Marketing Research' revela que comportamento pode inibir compulsão alimentar


postado em 24/01/2019 13:08 / atualizado em 24/01/2019 13:08

(foto: Rubens Kato/Divulgação)
(foto: Rubens Kato/Divulgação)
 

 

Você é o tipo de pessoa que "come com os olhos"? E o que dizer do "cheiro delicioso" de batata frita ou um bolo de chocolate? Se você é influenciado pela aparência e o aroma na hora de comer, um estudo publicado no "Journal of Marketing Research" revela uma técnica para driblar o impulso.

De acordo com a pesquisa, dois minutos de aromatizante podem ajudar a combater a compulsão por alimentos gordurosos. Isso porque o cérebro não diferencia necessariamente a fonte do prazer sensorial.

O principal autor do estudo, o professor Dipayan Biswas, explica: "O perfume ambiente pode ser uma ferramenta poderosa para resistir aos desejos por alimentos indulgentes. De fato, estímulos sensoriais sutis como aromas podem ser mais eficazes em influenciar as escolhas alimentares de crianças e adultos do que políticas restritivas".

Os cientistas expuseram os participantes do estudo ao aroma de morangos ou maçãs e de biscoitos ou pizza. Aqueles que cheiraram por menos de 30 segundos ficaram mais propensos a comer os alimentos gordurosos. No entanto, se o comportamento de cheirar durasse mais de dois minutos, os participantes escolhiam as frutas para consumo.

Em literaturas anteriores, pesquisadores alegavam que apenas um cheiro de comida frita, hambúrguer ou pizza era suficiente para fazer as pessoas comprarem junk food.

Segundo Dipayan Biswas, alguns fabricantes de aromas artificiais estão investindo em aromatizadores baseados em alimentos gordurosos. "Várias empresas estão vendendo diferentes tipos de sprays com aroma de biscoito, por exemplo", afirma o pesquisador. Ele acredita que purificadores de ar com aroma de hambúrguer ou doces estimulariam escolhas alimentares mais saudáveis dentro de casa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade