Publicidade

Correio Braziliense

Sem filosofia, desenvolvimento é prejudicado, diz conselho internacional

Apontado como a maior entidade científica do mundo, Conselho Internacional de Ciência diz ver com "preocupação" intenção do governo de reduzir investimentos em áreas como filosofia e sociologia


postado em 07/05/2019 17:08 / atualizado em 07/05/2019 17:52

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Principal entidade científica do mundo, o Conselho Internacional de Ciência (ISC, na sigla em inglês) publicou carta criticando os cortes nos orçamentos de universidades federais, anunciados pelo Ministério da Educação. A instituição diz ver a proposta com "preocupação" e avalia que as barreiras para estudo e ensino de filosofia e sociologia podem comprometer o crescimento do país. 

"O risco de descontinuar o financiamento do ensino e pesquisa nessas áreas será a diminuição da rede interdisciplinar de ideias críticas para gerar o conhecimento interconectado e as habilidades necessárias tanto para reflexão, quanto para inovação e crescimento", afirma a entidade.

O ISC ainda diz que as inovações advindas da filosofia e da sociologia, e a contribuição dessas ciências para outras áreas, "são fundamentais para resolver problemas enfrentados pela sociedade, para gerar a diversidade de ideias e habilidades que têm contribuído e vão continuar contribuindo para o desenvolvimento nacional do Brasil e sua competitividade econômica"

A carta é endereçada ao presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, e à presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), Miriam Pillar Grossi. Por fim, o Conselho se coloca à disposição das entidades brasileiras para ajudar a preservar e reforçar os estudos e a pesquisa em sociologia e filosofia.
 

Confira a carta na íntegra (em inglês):

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade