Publicidade

Correio Braziliense

Críticas maternas fazem pais se envolverem menos na criação dos filhos

Assim como as mães, os pais também enfrentam críticas sobre a criação dos filhos. No entanto, segundo uma pesquisa, as maiores responsáveis por esses julgamentos são as próprias companheiras


postado em 18/06/2019 11:11

52% dos pais se sentem criticados em relação ao tipo de educação que dão aos filhos(foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
52% dos pais se sentem criticados em relação ao tipo de educação que dão aos filhos (foto: Fernando Lopes/CB/D.A Press)
Quando um casal se forma, unem-se duas histórias diferentes. Marido e mulher podem ser da mesma classe social, terem crescido na mesma turma da escola, ou passado a infância no mesmo bairro, mas a forma como foram educados dentro de casa é única. No dia a dia do namoro e do casamento, as coisas se encaixam e a vida costuma seguir sem maiores contratempos, mas quando chegam os filhos essas bagagens vêm mais à tona e, eventualmente, causam divergências.

Um estudo realizado no Hospital Infantil CS Mott, nos Estados Unidos, sobre Saúde Infantil, mostrou que as divergências entre homens e mulheres sobre a educação das crianças afeta diretamente o envolvimento dos pais com os filhos. Segundo os pesquisadores, 52% dos pais com filhos entre 0 e 13 anos se sentem criticados em relação ao seu estilo parental. E a principal fonte dessas críticas são as próprias mães das crianças.

Segundo a coordenadora da pesquisa, Sarah Clark, há dois anos, o hospital fez um estudo sobre os julgamentos que as mães recebem. Desde então, surgiu o interesse em examinar se a situação se repetia com os pais.

(foto: C.S Mott Childreen's Hospital/Reprodução)
(foto: C.S Mott Childreen's Hospital/Reprodução)
De acordo com o relatório, as razões mais comuns para as críticas são a forma como os homens disciplinam (67%), alimentam (43%) e brincam (32%) com seus filhos. As críticas partem, principalmente das mães, seguidas pelos avós e logo após pelos próprios amigos do pai.

A pesquisadora explicou que quando a crítica vem da mãe da criança, um pai tende a sentir uma perda maior de confiança do que se viessem de um avô, amigo, estranho ou profissional que trabalha com a criança. Para Clark, a estatística é particularmente perturbadora. "Um número substancial de pais disse que as críticas fizeram com que eles quisessem se envolver menos com a criação dos filhos", revela. "Eu esperava que esses sentimentos estivessem associados à idade, raça ou renda do pai, mas não encontramos nenhuma dessas diferenças. Em vez disso, o elo mais forte foi a fonte das críticas", completou.

Ainda assim, muitos pais responderam às críticas de maneira positiva. 49% mudaram suas maneiras de agir após o feedback, e 40% procuraram conselhos de outras pessoas sobre o tema em questão. "Foi encorajador que quase metade dos pais nesta pesquisa tenham dito que fizeram uma mudança em seu comportamento parental e/ou procuraram por mais informações em resposta a críticas", disse Sarah.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade