Publicidade

Correio Braziliense

Junk food altera massa corporal de pássaros estudados por Darwin

Os pesquisadores estudaram a composição das fezes e dados de massa corporal de tentilhões fêmeas, qu e são as principais cuidadoras de filhotes, ou de filhotes de pássaros


postado em 29/12/2019 08:00 / atualizado em 29/12/2019 10:03

Tentilhão flagrado com pipoca no bico: presença humana em ilhas antes quase intocáveis pode comprometer imunidade dos pássaros (foto: Kiyoko M. Gotanda )
Tentilhão flagrado com pipoca no bico: presença humana em ilhas antes quase intocáveis pode comprometer imunidade dos pássaros (foto: Kiyoko M. Gotanda )
Nas Ilhas Galápagos, os tentilhões de Charles Darwin atraídos por junk food estão passando por mudanças na microbiota intestinal e na massa corporal em comparação com pássaros da espécie que não encontram comida humana, de acordo com um estudo da Universidade de Connecticut. Essas aves foram importantes para a teoria da evolução postulada pelo naturalista inglês.

Agora, os pesquisadores estudaram a composição das fezes e dados de massa corporal de tentilhões fêmeas, que são as principais cuidadoras de filhotes, ou de filhotes de pássaros. Eles coletaram amostras de aves em áreas urbanas, onde encontrariam comida humana, e em regiões rurais, onde eram menos propensas a esbarrar em alimentos humanos. Assim, caracterizaram a microbiota intestinal das aves. Estudos anteriores mostraram que as populações de tentilhões que vivem perto de pessoas reconhecem a comida humana como alimento, enquanto os que vivem em áreas com menos atividade não percebem essas iguarias como algo que podem comer.

No total, os pesquisadores estudaram cerca de 100 tentilhões, concentrando-se na criação dos pequeninos Geospiza fuliginosa e de tentilhões médios (Geospiza fortis) e na costa leste da ilha de Santa Cruz. Galápagos é considerada um local ideal para estudar os efeitos de impactos humanos relativamente recentes nos ecossistemas. As ilhas se tornaram mais e mais povoadas nos últimos 30 anos, em grande parte devido a uma crescente indústria do turismo. Uma delas, por exemplo, tem uma população de cerca de 12 mil; e onde existem seres humanos, há impactos no ecossistema.


Massa corporal 

Os pesquisadores descobriram que as características físicas diferem entre os locais. Os de áreas urbanas são maiores e têm maior massa corporal do que os que vivem em regiões rurais. De fato, tentilhões que circulam entre populações humanas são entre 6% e 13% mais pesados dos que as aves em locais com menos ou nenhuma presença humana.

Na análise de amostras fecais, os tentilhões que vivem em áreas onde há muita atividade humana têm comunidades de microbiota intestinal diferentes daqueles que habitam regiões mais despovoadas. As diferenças na microbiota também são claras, mas as consequências não. Os pesquisadores alertam que pode haver impactos negativos especialmente para filhotes e fêmeas, porque eles correm risco de exposição ao parasita invasivo Philornis downsi, que ameaça levar à extinção regional as populações de tentilhões. “Como a microbiota intestinal pode afetar o sistema imunológico, tentilhões de junk food podem ter uma resposta diferente do sistema imunológico a um parasita invasivo do que os que se alimentam de sua dieta natural”, diz o estudo. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade