Publicidade

Correio Braziliense

Como evitar a contaminação pelo novo coronavírus? Tire suas dúvidas

Correio consultou especialista e órgãos de saúde para responder perguntas de leitores


postado em 24/03/2020 18:00 / atualizado em 25/03/2020 15:33

Lavar as mãos com água e sabão é um dos principais cuidados(foto: Reprodução/Pixabay)
Lavar as mãos com água e sabão é um dos principais cuidados (foto: Reprodução/Pixabay)
Diante da pandemia do novo coronavírus, são muitas as dúvidas da população. Para ajudar a saná-las, o Correio selecionou peguntas enviadas pelos leitores por meio das redes sociais e consultou um especialista e órgãos oficiais para respondê-las. Abaixo, confira as perguntas e respostas relacionadas à contaminação e à prevenção. Você também pode enviar a sua pergunta pelo InstagramFacebook ou Twitter do Correio.

Quanto tempo o vírus sobrevive em objetos?

Depende do material. Tem superfícies que ele pode ficar até 9 dias e tem locais que ele morre em uma hora. Mas lavando com água e sabão ou higienizando com álcool você elimina o risco. Por isso, é importante, ao chegar em casa, caso seja necessário sair, tirar a roupa em um lugar separado e já botá-la para lavar. Não vale a pena guardar a roupa para lavar depois. No caos de celulares, carteiras e outros objetos, higienize-os com álcool 70% ou desinfetante.

Que cuidados devo tomar para evitar a contaminação?

Se tiver contato com algum utensílio ou superfície, lavar as mãos com água e sabão ou desinfetante, como o álcool em gel. Não sair de casa. Se tiver que sair, tente não ter contato com outras pessoas e tome todos os cuidados de higiene ao retornar. Deixe um chinelo na porta, antes de entrar troque o sapato por ele e vá direto para o banheiro lavar as mãos e o rosto. Deixe as máscaras para quem está doente e para profissionais de saúde.

A chuva elimina o vírus do ar e de superfícies?

Não. Ela pode até ajudar a levá-lo a outros lugares.

Máscara de pano é eficaz para evitar a contaminação?

Não. A malha do pano tem um distanciamento muito grande, ou seja, não vai funcionar como barreira contra o vírus. A mesma coisa vale para a luva de pano, com o agravante de que ela pode servir até para levar o vírus de um lugar a outro.

A transmissão da Covid-19 segue o padrão de outras doenças, como o sarampo e a catapora?

Ela tem um menor ritmo de transmissão. Enquanto uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para 12 pessoas, os infectados com o novo coronavírus transmitem para 4, 6, 8 pessoas, no máximo. A diferença é que o vírus do sarampo sobrevive pouco. O do corona sobrevive mais e o quadro clínico passa, muito rapidamente, de uma condição leve para grave em grupos de risco.

É preciso lavar as mãos frequentemente mesmo se eu estiver ficando em casa?

Preferencialmente, sim. Isso precisa se tornar um hábito até para evitar a proliferação de outros vírus, como o da gripe.

Como diferenciar a Covid-19 da gripe?

Na gripe, em geral, a pessoa tem febre, tosse e um comprometimento superior mais intenso. Nos quadros mais graves da Covid, há um comprometimento respiratório, dos pulmões. Ou seja, faltou ar, busque ajuda.

Todo mundo vai pegar o vírus em algum momento?

Pode acontecer. Não tem como falar que vai acontecer. Tradicionalmente, quando muitas pessoas pegam, tende a criar um cordão de proteção, que minimiza o risco de outras pessoas pegarem. É assim que funcionam as vacinas.

Lavar as ruas ajudaria a frear a disseminação do vírus?

Ainda não há resposta. Não se sabe qual seria, de fato, a viabilidade disso.

Mesmo que a curva 'achate' vai ter gente pegando a doença?

Sim. Achatar a curva significa fazer com que menos gente pegue o vírus ao mesmo tempo, para não sobrecarregar o sistema de saúde.

Como proteger a casa que tem uma pessoa que não pode fazer quarentena e precisa ir à rua?

Uma pessoa que precise, de fato, sair para trabalhar tem que manter os cuidados tradicionais: evitar ter contato com outras pessoas, higienizar as mãos constantemente, não tocar o rosto...

Álcool em gel e álcool líquido 70% têm a mesma eficácia?

Têm a mesma eficácia.

Qual a melhor maneira de prevenção para quem é asmático?

Manter as orientações médicas (por exemplo, usar bombinha se lhe foi recomendado) e adicionar as preocupações relacionadas à Covid-19. Não são grupo de risco, mas não há evidência de que há melhor recuperação.

Beber água quente ajuda a combater o vírus?

Não há nenhuma comprovação.

Há alguma projeção de quando uma vacina estará disponível?

Não temos, até o momento, nenhum candidato a vacina. O vírus é muito novo, surgiu há cerca de quatro meses. É preciso que os cientistas se aprofundem mais sobre ele.

Quanto tempo a pandemia deve durar?

A pandemia pode durar muito tempo. Nossa perspectiva é achatar a curva para não abarrotar o sistema de saúde. Mas, por outro lado, assim você estende o período da epidemia. Pode ser mais curta devido a ferramentas de contenção muito pesadas, mas deve durar de 2 a 5 meses.

Que cuidados devo ter ao sair para passear com cachorro?

O cachorro não vai transmitir a doença para você, mas ele pode espalhar o vírus. Se tiver que sair com ele, lave as patas assim que voltar para casa e mantenha ele afastado de outras pessoas na rua.

Quais os riscos para portadores de HIV?

Os portadores de HIV já têm o risco acrescido. Primeira coisa que deve fazer é procurar o médico para se orientar. Se está tomando medicação, permaneça. Fique de olho.

O vírus ficará ativo na natureza após a pandemia?

Ainda não sabe, mas, provavelmente, sim. Ou ele vai sumir, de fato, ou vai procurar algum outro animal hospedeira, outro mamífero, possivelmente.

A comida pedida por delivery pode carregar o vírus?

Se essa comida foi feita sob as boas práticas de produção, não.

O novo coronavírus já sofreu alguma mutação?

Mutações importantes, não.

Quanto tempo de isolamento da população é necessário para termos um efeito positivo?

Não há um cálculo preciso, mas a expectativa é de 12 semanas.

É possível pegar o vírus no ar?

O ar sozinho não carrega o vírus, mas ele pode carregar partículas de secreções de alguém infectado. Por exemplo, se uma pessoa contaminada espirrar ou tossir perto de você, é possível, pegar, sim. E hoje em dia, nas grandes cidades, dificilmente, você consegue andar na rua sem ter contato com ninguém.

Posso sair para correr ou fazer exercícios na rua?

De preferência, não. Hoje em dia nas grandes cidades, dificilmente você vai conseguir andar sem ter contato com ninguém. Inclusive, uma pessoa pode aparentar estar saudável e estar infectada. Tente fazer exercícios em casa. Academias de condomínios também não são recomendadas.

Frutas, verduras e legumes podem estar contaminados?

Podem. Compre e faça os hábitos de higiene.

Álcool acima de 70% é eficiente?

Apesar de secar mais rapidamente, ele pode, sim, ser eficaz. Abaixo de 70% não teria tanta eficiência.

Ventilador espalha o vírus?

Se estiver ventilando um ambiente contaminado, sim. Se uma pessoa contaminada tossir ou espirrar na frente dele, ele pode espalhar o vírus. Caso contrário, não. No caso do ar-condicionado, a recomendação é usar só em casos indispensáveis.

Tem alguma projeção de quantos casos o Brasil terá?

Há um grau de imprecisão muito grande, porque ainda estamos no início aqui no Brasil (o primeiro caso no país foi confirmado em 26 de fevereiro). Mas a UnB, em parceria com o Ministério da Saúde e outras entidades, fez uma projeção de casos na Grande São Paulo, com base em uma comparação de dados. A escolha por essa região se deu pela presença do Aeroporto Internacional de Guarulhos — que possui um grande fluxo de estrangeiros e brasileiros vindos do exterior — e pela semelhança demográfica com a cidade de Wuhan, epicentro da Covid-19 na China. A projeção apontou 1.368 casos em 30 dias, com 80 pessoas precisando de internação e 14 óbitos. Em 60 dias, conforme a projeção, seriam 40 mil casos, com 2 mil internações e 400 mortes.

Como o álcool em gel protege?

Eliminando o vírus. Esse é um vírus que morre facilmente com desinfetantes, como o álcool, ou água e sabão.

Quem mora em casa pode pegar o vírus na garagem?

Pode, caso alguma pessoa infectada tenha encostado no carro ou na parede.
 

Fontes:

- Professor Wildo Navegantes de Araújo, do Comitê Gestor do Plano de Contingência em Saúde da Covid-19 da Universidade de Brasília (COES/UnB)
- Secretaria de Saúde do DF
- Ministério da Saúde 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade