Ciência e Saúde

Nova evidência de que anticoagulante ajuda paciente a vencer o coronavírus

Evidência vem de estudo realizado nos Estados Unidos. Pesquisa brasileira já encontrou resultados semelhantes

Thays Martins
postado em 07/05/2020 16:29
Evidência vem de estudo realizado nos Estados Unidos. Pesquisa brasileira já encontrou resultados semelhantesNovo estudo norte-americano aponta que um tratamento com anticoagulantes, remédios usados para prevenir ou desfazer coágulos e evitar problemas como a trombose, aumenta as chances de sobrevivência de pacientes com covid-19. A pesquisa, conduzida por pesquisadores da rede hospitalar Mount Sinai, foi publicada no Journal of American College of Cardiology, e corrobora o resultado de outros artigos já publicados, inclusive um brasileiro.

No estudo, foram analisados os registros de 2.773 pacientes diagnosticados com covid-19 e atendidos pelo Mount Sinai em Nova York, entre 14 de março e 11 de abril. Desses pacientes, 786 (28%) receberam uma dose alta de anticoagulantes (a mesma dada para pacientes que já têm coágulos formados ou estão com suspeita de coágulos).

A análise mostrou que essa estratégia aumentou a taxa de sobrevivência tanto das pessoas que estavam fora quanto dentro de uma UTI. Os ganhos foram ainda mais expressivos nos pacientes que necessitavam de ventilação para respirar. Desses, 29,1% dos tratados com anticoagulante morreram, enquanto o índice de óbitos foi de 62,7% nos que não receberam o tratamento.

O benefício foi demonstrado mesmo entre os pacientes que acabaram morrendo devido ao novo coronavírus. Nesse grupo, aqueles tratados com alta dose de anticoagulante resistiram por 21 dias em média, enquanto o tempo de sobrevida dos que não receberam o medicamento foi de 14 dias.

[SAIBAMAIS]"Esta pesquisa demonstra que os anticoagulantes tomados por via oral, subcutânea ou intravenosa podem desempenhar um papel importante no tratamento de pacientes com covid-19, e isso pode evitar possíveis eventos mortais associados ao coronavírus, incluindo ataque cardíaco, derrame e embolia pulmonar", explica em um comunicado à imprensa Valentin Fuster, médico chefe do Mount Sinai.


Resultado semelhante encontrado no Brasil

[SAIBAMAIS]O resultado corrobora outros estudos estudos que já apontaram a formação de coágulos sanguíneos entre pacientes com covid-19. Uma pesquisa feita pelo Hospital Sírio Libanês, no Brasil, mostrou que o uso do anticoagulante heparina, indicado para reversão da trombose, ajuda a diminuir o tempo de internação e de intubação de pacientes graves.

Segundo esse estudo, em casos graves de covid-19, o maior problema não está no pulmão, mas na coagulação da rede sanguínea. O estudo feito em São Paulo foi com 27 pacientes e foi publicado na revista British Medical Journal (BMJ).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação