Publicidade

Correio Braziliense

Reabertura de academias: infectologistas explicam os cuidados necessários

Nesta segunda-feira (11/5), o presidente Jair Bolsonaro disse que assinou decreto considerando as academias como serviços essenciais durante a pandemia


postado em 11/05/2020 22:05 / atualizado em 11/05/2020 22:52

Segundo especialistas, academias podem apresentar riscos para a propagação da covid-19(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
Segundo especialistas, academias podem apresentar riscos para a propagação da covid-19 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
Após a afirmação do presidente Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (11/5), de ter colocado as academias como serviços considerados essenciais durante a pandemia do novo coronavírus, a reabertura dos espaços esportivos voltou ao debate. Para a população, entretanto, algumas dúvidas ainda pairam sobre o retorno da malhação diária. Para tentar esclarecer alguns pontos, o Correio consultou especialistas sobre o assunto.

 

Para o infectologista do Hospital Brasília, André Bon, o retorno às academias deve ser feito com muito cuidado. "É um ambiente ruim (para a proteção contra a covid-19), especialmente porque é fechado e existe um intenso contato das mãos com locais em que outras pessoas tocam. É um dos piores locais para se estar nesse momento", explica o médico. "Existe sempre a alternativa de fazer exercicio em casa, ou em ambientes aberto. Acho que, nesse momento, existem alternativas mais seguras do que frequentar uma academia."

 

Contudo, Bon pontua que, para aqueles que insistirem em ir treinar no local, algumas medidas de segurança podem ser tomadas. "A melhor forma de proteção é usar máscara durante todo o momento e higienizar muito as mãos. Também é importante evitar tocar no rosto, e não utilizar esse ambiente, ou qualquer outro, tendo sintomas (do covid-19). Mas é importante frisar que mesmo assim existe um risco alto, já que algumas pessoas podem ter sintomas mais leves ou serem assintomáticas."

 

Para Valéria Paes, infectologista membro da Sociedade de Infectologia do Distrito Federal (SIDF), a dica também é tentar evitar as academias e, caso isso ocorra, lembrar da proteção básica, como máscaras, limpeza dos aparelhos e higienização das mãos. Valéria pontua também que as luvas, usadas por algumas pessoas como forma de proteção, não são tão eficazes como parecem. "A higienização frequente das mãos é mais eficaz, as pessoas têm de ter o cuidado de não tocar no rosto e usar usar luvas sem fazer a higienização pode ser até mais perigoso."

 

A infectologista também explica que o papel da gerência da academia na luta contra a propagação da covid-19 deve ser feito com muita responsabilidade. "Disponibilizar insumos para limpeza de forma abundante, aumentar a frequência de limpeza e manter os funcionários com máscaras. E outro detalhe: usar ventilação natural em vez do ar-condicionado."

Preparação

Segundo Marcos Tadeu, presidente da Sociedade Brasileira de Personal Trainers (SBPT), os locais já estão preparados para a reabertura, e a segurança em relação à pandemia é prioridade dos estabelecimentos. "Dentro das normas propostas pela Sociedade Brasileira de Academias, é seguro sim (a reabertura das academias). As academias brasileiras, como todos os outros locais (no mundo), estão se preparando para essa abertura e estão tomando os cuidados necessários".

 

Entre esses "cuidados necessários" aos estabelecimentos, Tadeu pontua até mesmo o intervalopara limpeza em determinados ambientes dentro das academias. "Os clientes e funcionários devem usar máscaras, as academias devem parar para uma limpeza, o tempo para isso depende do tamanho (da academia), isso é importante. Também ter em abundância a disponibilidade de álcool gel, toalhas sanitizadas, e o que eu acho mais importante é o espaçamento de uso."

 

Ele indica também usar as academias como uma forma de se defender contra a covid-19. "Na academia, existe uma visão errônea da pessoa em pensar em um local superlotado como era antes, mas não será assim, a proposta é usar um 'novo normal', com pessoas mais distantes, com cuidados, as academias maiores vão ter problemas financeiros já que precisam fazer o espaçamento, mesmo precisando ter muita gente. Mas a maioria das academias deve ser tranquilo fazer o espaçamento, isso já é algo que vem sendo feito nos Estados Unidos. E existe essa preparação aqui (no Brasil) também."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade