Publicidade

Correio Braziliense

Dor de cabeça e perda do olfato são os sintomas mais comuns da covid-19

Sete em cada dez pacientes sofreram esses dois sintomas, de acordo com as conclusões de estudo feito na Europa


postado em 13/05/2020 16:53

(foto: AFP / Martin BERNETTI)
(foto: AFP / Martin BERNETTI)
Dor de cabeça e perda de olfato são os sintomas mais comuns entre pacientes europeus com formas leves ou moderadas da COVID-19, de acordo com um estudo publicado no Journal of Intern Medicine.

Sete em cada dez pacientes sofreram esses dois sintomas, de acordo com as conclusões deste estudo realizado com 1.400 pacientes que apresentaram resultado positivo para COVID-19 na Bélgica, Espanha, França, Itália e Suíça.

Os outros sintomas mais comuns são congestão nasal (67,8%), tosse (63,2%) e cansaço (63,3%), seguidos de dor muscular (62,5%), coriza (60,1%) e perda de paladar (54,2%). Em contraste, a febre foi detectada apenas em menos da metade dos pacientes (45,4%).

Esta primeira investigação epidemiológica em pacientes europeus com uma forma não grave da COVID-19 foi realizada pela Federação Internacional das Sociedades de Otorrinolaringologia para avaliar a frequência da perda de olfato (anosmia) e paladar (ageusia).

"A capacidade da COVID-19 de invadir o bulbo olfativo e, portanto, o sistema nervoso central é provavelmente uma pista" para explicar a anosmia, segundo o hospital Foch da França.

Embora a anosmia e a ageusia tenham sido pouco descritas em estudos com pacientes chineses, que apresentaram principalmente febre, tosse e dificuldades respiratórias, o estudo europeu estima que essa diferença possa ser devida ao fato de que nos casos chineses eles eram pacientes hospitalizados sob formas graves da COVID-19.

Ao mesmo tempo, os autores levantam a hipótese de que as sucessivas mutações genéticas do coronavírus explicam a diversidade de sintomas e destacam o fato de que os europeus têm um nível mais alto da enzima de conversão da angiotensina 2, ACE2, que atua como um receptor de coronavírus.

Também enfatizam que a frequência sintomática varia de acordo com a idade e o sexo. 

Assim, os pacientes jovens têm mais problemas de ouvido, nariz e garganta, enquanto os pacientes mais velhos experimentam mais febre, cansaço e perda de apetite.

Tosse e febre afetam mais os homens e as mulheres são mais vítimas de perda de olfato, dor de cabeça e congestão nasal.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade