Publicidade

Correio Braziliense EMPREENDEDORISMO

Educação empreendedora pode mudar a forma de encarar o mundo e resolver problemas

Diferente do modelo tradicional, a educação voltada para o empreendedorismo diminui chances de fracasso de negócios e desenvolve habilidades para a carreira e a vida


postado em 07/11/2018 12:57 / atualizado em 03/12/2018 17:52

Por Luana G. Silveira e Camila de Magalhães

 

Mercado exige pessoas mais versáteis, capazes de lidar com um mundo diverso e incerto(foto: Márcio Falcão/FAC/D.A Press)
Mercado exige pessoas mais versáteis, capazes de lidar com um mundo diverso e incerto (foto: Márcio Falcão/FAC/D.A Press)
 

O mundo empreendedor vem ganhando destaque como solução para os altos índices de desemprego no Brasil. Além de necessidade, o empreendedorismo aparece como oportunidade. Muita gente começou a dar chances a seus sonhos e projetos pessoais como forma de gerar receita. Porém, desde o momento da idealização desses negócios, as dificuldades aparecem: problemas administrativos, contábeis, questões de logística e gestão.

Pesquisas mostram que, de cada 10 empresas brasileiras, seis fecham as portas nos primeiros cinco anos de atividade. O país ainda o Distrito Federal, das empresas abertas no ano de 2012, 28% encerraram suas atividades dois anos depois de criadas. A falta de preparação para lidar com o universo empreendedor leva ao fim de muitos negócios, o que demonstra a necessidade de capacitação e preparação para empreender.

Uma solução importante para esse problema é a educação empreendedora, na avaliação de Felipe Matos, sócio-fundador da 10KStartups.co e ex-diretor da Startups Brasil. Com experiência de mais de 20 anos em empreendedorismo, Matos percebe uma grande diferença entre os modelos de educação. “O modelo tradicional de ensino está muito focado em formar funcionários, empregados, naquela era industrial, em que era preciso repetir tarefas, ter bons executores. Na educação empreendedora, o foco é formar pessoas mais versáteis, capazes de lidar com um mundo muito mais diverso e incerto, com habilidade de criar projetos, resolver problemas, criar soluções novas. Tudo muito diferente do que a gente foi treinado para fazer num modelo tradicional de educação”, observa.

(foto: Camila de Magalhães/FAC/D.A Press)
(foto: Camila de Magalhães/FAC/D.A Press)
 

No mundo atual, é preciso saber trabalhar em grupo, ter liderança, dialogar, negociar num momento de conflito, perceber uma oportunidade de visualizar alguma coisa, analisar uma situação. Muito disso, a gente não aprende na escola tradicional.

Felipe Matos, empreendedor

 

INICIATIVAS EM BRASÍLIA

Além de agregar conhecimento para o mundo dos negócios, a educação empreendedora também ensina o ser humano a lidar com seus conflitos pessoais durante a vida. Pensando nisso, iniciativas como a Canvi, da rede Look’n Feel, o Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae e a Ei! Comunidade de Aprendizagem para Empreendedores, da Fundação Assis Chateaubriand, têm fomentado a divulgação e o compartilhamento desses conhecimentos na capital do país.

 

ESTÍMULO DESDE A INFÂNCIA

(foto: Arquivo Canvi)
(foto: Arquivo Canvi)
O objetivo da Canvi, empresa brasiliense de experiências criativas de aprendizagem, é colaborar com a construção de uma educação mais inovadora e preparatória para os novos desafios do mundo, proporcionando experiências de aprendizagem criativas para crianças, jovens, pais e educadores. “A gente percebe que o mundo está mudando muito e o futuro dessas crianças é imprevisível. Aprenderem o empreendedorismo significa que elas aprendam a se reinventar e aplicar suas ideias de forma diferente. Desenvolver essas habilidades empreendedoras vai ser importante tanto para o sucesso pessoal quanto profissional”, destaca João Vitor Alencar, fundador da Canvi.

 

 

 

JEITO DE MUDAR E FAZER A DIFERENÇA

O Programa de Nacional de Educação Empreendedora, do Sebrae, procura desenvolver competências e ajudar na inserção ao mundo profissional, com práticas de ensino leves e interativas, estimulando a reflexão, ressignificação e aplicação dessas habilidades, aproximando o ecossistema empreendedor dos ensinos fundamental, médio, profissional e superior. “Acreditamos que o empreendedorismo é o modo como o Brasil vai mudar e fazer a diferença. É importante que nós tenhamos no país uma rede que tenha essa mentalidade, esse propósito para que possamos impulsionar com o empreendedorismo os outros setores da sociedade, sejam econômicos ou sociais. Quando a gente pensa em negócios de impacto social e ambiental, temos um conjunto de empreendedores que buscam mudar a realidade do país”, ressalta Ana Clévia Guerreiro, assessora do Sebrae Nacional.

 

SOLUÇÕES CRIATIVAS

Na Comunidade Ei, acredita-se na força das conexões, no aprender fazendo, na criação coletiva(foto: Márcio Falcão/FAC/D.A Press)
Na Comunidade Ei, acredita-se na força das conexões, no aprender fazendo, na criação coletiva (foto: Márcio Falcão/FAC/D.A Press)

Mariana Borges, superintendente da Fundação Assis Chateaubriand e uma das idealizadoras da Ei! Comunidade de Aprendizagem para Empreendedores, explica que o programa da entidade nasceu com o intuito de trabalhar a educação empreendedora focada nas pessoas e em seus propósitos, proporcionando conexões e experiências.

Para ela, o mundo do empreendedorismo exige proatividade, forte desejo por realizar sonhos, crença nas ideias pessoais e, principalmente, a união com outros indivíduos, possibilitando a co-criação e o desenvolvimento conjunto de projetos. “A educação empreendedora deve ensinar, principalmente, a lidar com conflitos internos e externos, solucionando problemas de forma criativa e colaborativa”, explica Mariana.

COMUNIDADE PARA EMPREENDEDORES

O Espaço Ei! é um ambiente de conexão, conhecimento e experiências inovadoras, que surgiu em agosto de 2017 para transformar empreendedores de dentro para fora. Nesta comunidade, acredita-se na força das conexões, no aprender fazendo, na criação coletiva, entre outros. Desde o ano passado, também são realizados diversos eventos de empreendedorismo e inovação que reúnem pessoas que pensam diferente e acreditam no potencial de Brasília. Além disso, a comunidade oferece o curso Jornada Ei, que prepara o empreendedor para encarar o mercado de forma mais disruptiva e humana, por meio de técnicas, ferramentas e experiências para quem quer desenvolver uma ideia, abrir um negócio ou inovar no mercado.

 

ONDE ENCONTRAR

  • Canvi – A empresa funciona no The Brain Coworking, no endereço CRS 503 Bloco B loja 69, Asa Sul. Informações: (61) 99263-3233 ou no Facebook e Instagram @canvi.cc
  • Ei! Comunidade de Aprendizagem para Empreendedores: O Espaço Ei! fica no SIG Quadra 2 Lote 340, sede do Correio Braziliense. Informações: www.ei.org.br ou pelo Facebook e Instagram @ComunidadeEi - WhatsApp: +55 (61) 3214-1059
  • Sebrae - Informações pelo site www.sebrae.com.br ou pelo telefone 0800 570 0800