Publicidade
Conheça mais das experiências entre pais e filhos e dicas de como aproveitar essa data tão especial.

Correio Braziliense CASA

Decoração divertida

Levar o personagem de quadrinho preferido para dentro do lar pode se tornar uma ótima curtição para pais e filhos


postado em 12/08/2018 07:00 / atualizado em 12/08/2018 07:24

Febre desde que foram lançadas, na década de 1930, as histórias em quadrinhos não se limitam às revistinhas. Com design mais rebuscado e elaborado, elas invadem não só a tela dos cinemas, mas também nossas casas. Seja no quarto, seja na sala de estar, as HQs encantam crianças e, principalmente, adultos, que dividem a paixão, desde cedo, com os filhos.

Até artistas famosos, como Roy Lichtenstein, marcaram o uso desse estilo. Em suas obras, o pintor valorizava os clichês dos quadrinhos como uma forma de arte em um movimento que criticava a cultura de massa, conhecido como pop art. O uso das HQs é tendência até hoje e, segundo arquitetos, uma boa opção quando a intenção é renovar a composição, sair da mesmice e personalizar os espaços.

“Curtir quadrinhos se tornou algo cult, assim como colecionar quadros, objetos e bonecos. É uma paixão muito mais adulta do que das crianças”, acredita a arquiteta e decoradora Silvana Albuquerque. Ainda assim, ela garante que a decoração com esse estilo é livre, despojada e bastante jovial.

E o quarto não é o único cômodo que pode receber os detalhes: sala de estar, de televisão e até a cozinha podem abrigar HQs — o que vale, nesses casos, é o equilíbrio, para evitar que o ambiente fique muito carregado.

Neutralidade


Objetos estampados, como pufes, mouses, caixas organizadoras, quadros, capas de almofada, roupas de cama e luminárias, podem ser encontradas com o tema. “O local que vai receber essa decoração pode ter cores pontuais, mas, no geral, recomendo que seja mais clean. Como as estampas de quadrinhos já são mais carregadas, deixamos que elas sejam os pontos focais do ambiente”, ensina a arquiteta Nina Abadjieff. Vale utilizar quadrinhos coloridos, preto e branco e detalhes de coleção.

“Se utilizamos capas de almofadas com o tema de quadrinhos, é indicado adotar um tecido liso para o sofá ou com pouca textura, para que ambos não briguem”, exemplifica Nina. Um ambiente leve e coerente, de acordo com ela, não fica cansativo para quem o habita.

Apesar de todas as recomendações, quando a paixão pelos quadrinhos é algo em comum, pouco existe diferenciação de que os objetos são dos pais ou dos pequenos. Nesse caso, para curtir o ambiente e momentos especiais, de lazer, a dica é apostar em uma base neutra com decoração pontual, como uma parede lisa com alguns detalhes, um painel ou uma estante com a coleção de bonecos favoritos, por exemplo. “Para um ambiente em que ambos curtam e frequentem, o bacana é colocar algumas peças em destaque”, sugere Silvana.

 

Sem amarras

O quarto assinado pela arquiteta Silvana Albuquerque é uma aposta com base neutra e decoração pontual. Cores sóbrias, como o preto, segundo a profissional, são boas opções caso o morador mude de ideia quanto aos gostos e posição dos objetos. “A ambientação pode ser mudada com o passar do tempo e dependendo do humor.”

(foto: Silvana Albuquerque/Divulgacao)
(foto: Silvana Albuquerque/Divulgacao)
 

Discrição na dose certa

Os HQs colocados no cômodo dão um toque especial ao ambiente, montado com tons pretos e neutros. O amarelo chama a atenção e o detalhe em forma de painel na parede é uma boa opção — ele pode ficar mais reservado e aparecer em diferentes tamanhos.

(foto: Pinterest/Divulgação)
(foto: Pinterest/Divulgação)
 

Para se inspirar

A referência ao mundo das HQs pode aparecer, também, nos detalhes, como um desenho feito de papel de parede. Nesse caso, o Super-homem segura a estante de livros e trabalha o diferencial do ambiente.

(foto: Pinterest/Divulgação)
(foto: Pinterest/Divulgação)