Publicidade

Correio Braziliense

Capítulo final de reprise de Dona Beija movimenta Araxá (MG)


postado em 04/07/2009 16:44 / atualizado em 04/07/2009 17:29

Araxá — Não é segredo para ninguém que, mesmo após sua morte, Dona Beija, a figura mais emblemática de Araxá, continua movimentando a cidade do Alto Parnaíba Mineiro. Produtos alusivos a ela, como doces, sabonetes, cachaça, café e até hotéis, pousadas e restaurantes, estão espalhados por todos os cantos. E a reprise da novela Dona Beija no SBT, a "feiticeira de Araxá", voltou com força total. A exibição do último capítulo, hoje à noite, movimenta a cidade como a trama estivesse sendo vista pela primeira vez.

Maitê Proença e Paulo Gracindo são as estrelas da novela produzida pela Rede Manchete há 23 anos(foto: Manchete/Arquivo)
Maitê Proença e Paulo Gracindo são as estrelas da novela produzida pela Rede Manchete há 23 anos (foto: Manchete/Arquivo)
"Muita gente na cidade vinha assistindo, ainda mais agora que está na reta final. O único problema é que a novela passa muito tarde (Dona Beija vinha sendo exibida de segunda a sábado, às 23h)", conta Vanilda Colipeli, funcionária do Museu Dona Beija, casarão onde a famosa personagem teria vivido dos 17 aos 49 anos. "Nossa cidade ficou famosa por causa dela e das águas termais. Aqui ainda vivem os descendentes diretos dela, cujo nome verdadeiro é Anna Jacintha de São José", lembra Vanilda, que se confessa uma fã de Beija.

A novela foi ao ar inicialmente em 1986, pela extinta Rede Manchete, e agora, 23 anos após sua primeira exibição, ainda provoca reboliços como naquela época. Tanto é que os produtos que levam o nome de Beija sempre fazem sucesso. A vendedora Marilza Aparecida Coutinho, que trabalha na única fábrica de sabonetes da região que produz o famoso cosmético feito a partir da lama de Dona Beija, conta que o sabão é sempre muito vendido, mesmo que a cidade não venere sua ilustre personagem como ela merece.

"Acho que aqui o povo não liga muito. Mas os sabonetes de lama sempre saem. Dona Beija deveria ser mais homenageada. Agora que a novela voltou, tem certa procura. Mas o horário de exibição não ajudava muito, ainda mais no interior que o povo dorme mais cedo", reclama. No entanto, um aspecto ninguém pode negar. A novela vai acabar, mas a lenda e o fascínio por Dona Beija permanecem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade