Publicidade

Correio Braziliense

Geração de "sobreviventes"


postado em 19/11/2009 07:00 / atualizado em 19/11/2009 08:42

Com ligeira afinidade temática com o longa-metragem a ser exibido na noite de hoje (Perdão, Mister Fiel), o curta do estreante Marcelo Caetano, Bailão trata de "uma geração de sobreviventes". Homossexuais, com idades entre 60 e 75 anos, que resistiram à ditadura e ao conservadorismo protagonizam o documentário que "celebra a vida", em um baile no centro de São Paulo. Tratados pelo diretor como um presente, os personagens representaram, por outro lado, um desafio, por encerrarem "um grupo de pessoas com pouquíssima visibilidade". "É gente que, durante décadas, teve o desejo relegado à clandestinidade", define Marcelo Caetano. Tendo no curta espaço para "tratar de temáticas não contempladas pelos longas", o cineasta se diz muito feliz pela presença em Brasília %u2014 "é um festival que respeito muito."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade