Publicidade

Correio Braziliense 1ª FEIRA CANDANGA

Arte como presente

Oito artesãos e 11 artistas plásticos se unem num bazar em favor do Museu Vivo da Memória Candanga


postado em 19/12/2009 07:00 / atualizado em 19/12/2009 08:06

Artesanato e arte contemporânea se encontram no Museu Vivo da Memória Candanga neste sábado, das 10h às 19h. Com o objetivo de arrecadar fundos para a instituição, a 1ª Feira Candanga de Artesanato e Arte Contemporânea reúne oito artesãos e 11 artistas plásticos num bazar de Natal que dura apenas um dia, mas pode ser uma boa opção de compra de presentes para as festas de fim de ano.

A iniciativa surgiu na Associação de Amigos do Museu, que decidiu organizar a feira para reativar uma série de ações já desenvolvidas na instituição e suspensas durante algumas gestões. O artesanato sempre esteve presente nas dependências do Museu Vivo da Memória Candanga. Oficinas de tecelagem e cerâmica destinadas à comunidade costumam ser realizadas anualmente nas salas do local. "Temos essa tradição de trabalhar com saberes e fazeres populares de candangos que vieram para a construção, então a gente tem essas oficinas", explica Luciana de Maya Ricardo, diretora da instituição. "Acho interessante mostrar a linguagem artesanal, que vem do princípio dos fazeres, e arte contemporânea, mostrar como o artesão e o artista trabalham com a cidade e seu imaginário, como colocam isso para fora na forma de objetos e obras."

Entre os artesãos escalados para a feira estão alguns nomes tradicionalmente conhecidos nas oficinas do museu. Márcia Papeleira vai expor os mesmos papéis que costuma fornecer para artistas da cidade. Malena Macedo e Nalvinha mostram roupas feitas com tecelagem artesanal. A cerâmica vai ficar por conta de um grupo formado nas oficinas e de Nádia Bacim, cria das atividades da instituição. Os estandes terão também bijuterias feitas com tecidos e acessórios confeccionados com seda do buriti.

Nas bancas de arte contemporânea predominam as obras em papel. Elder Rocha apresenta desenhos de série Justaposição polar, exposta recentemente no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e Luciana Paiva leva cinco trabalhos de obra que acaba de começar a desenvolver. Participam também Gê Orthof, Yana Tamayo, Rodrigo Paglieri, Polyana Morgana, Ruth Moreira, Raquel Nava, Matias Monteiro, Nelson Maravalhas e Nilson Silva.

Como a intenção é ajudar no orçamento, os artistas vão doar 20% das vendas para os cofres da Associação de Amigos do Museu. "A justaposição (de arte e artesanato) acentua a qualidade diferenciada de cada forma de expressão e a enriquece. A feira tem um desejo bacana que é toda a produção visual se reunindo para fortalecer o museu, que precisa disso", diz Elder Rocha.

1ª FEIRA CANDANGA DE ARTESANATO E ARTE CONTEMPORÂNEA
Hoje, das 10h às 19h, no Museu Vivo da Memória Candanga (Via Epia Sul, SPMS, Lote D, Núcleo Bandeirante)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade